Partido político | atuação e classificação

Atuação e classificação

Com o decorrer do tempo têm sido criadas as mais variadas formas de atuação dos partidos políticos na vida política das nações. Foram também criadas várias formas de atuação dentro dos partidos políticos.[4]

Partidos políticos seculares têm basicamente, através dos séculos, se mantido iguais só no nome, pois seus programas, doutrinas e estilos de se fazer política têm variado enormemente com o passar dos séculos.

Há partidos que procuram definir, no nome, claramente sua doutrina — como fazem, por exemplo, o Partido Fascista, o Liberal, o Democrata-Cristão, o Conservador, o Nazista, o Socialista, Comunista e o Trabalhista.

O e ex-presidente do Brasil, Fernando Henrique Cardoso, cunhou o termo "partido omnibus" para nomear aqueles partidos políticos que já partem do propósito explícito de reunir seguidores de diversas doutrinas e ideologias para atingirem objetivo comum a eles todos (omnibus significa para todos, em latim). Têm como seu arquétipo, na literatura, os partidos dominantes na política norte-americana: Partido Democrata e Partido Republicano e o MDB no Brasil, ou mesmo o Partido Democrata italiano.

Muitos políticos têm feito a sua carreira política dentro de um grande partido político, para só depois se candidatarem a altos cargos públicos, como, por exemplo, ocorre, na França, uma grande disputa pelo cargo de secretário-geral do Partido Socialista Francês. Outros políticos, ao contrário, preferem entrar ou formar pequenos partidos políticos para mais rapidamente saírem candidatos a altos cargos públicos como fez o ex-presidente Fernando Collor em 1989.

Funções

Os partidos políticos detêm um papel fundamental na esfera política. Segundo Pasquino (2010: 193-194), entre as suas funções distinguem-se as seguintes:

  • Criação de programas governativos que representem as propostas apresentadas ao eleitorado. No entanto “(…) a formulação de programas não deve ser considerada a função mais importante e específica dos partidos enquanto recetores das exigências programáticas provenientes de outras organizações da sociedade que eles consideram dignas da sua atenção pelos votos que podem trazer.”;
  • Recrutamento de novos membros e seleção dos mais competentes para os cargos diretivos, de maneira a manter o bom funcionamento do partido;
  • Colocação de membros dirigentes do partido em cargos governativos, garantindo uma boa representação dos ideais do partido, assim sendo, podemos afirmar que salvo “(…) raríssimas exceções, a atividade que realmente caracteriza o papel dos partidos contemporâneos consiste naquilo que foi designado por party government.”;
  • Organização parlamentar e de oposição, ou seja “(…) os notáveis e os representantes dos partidos também desenvolvem uma atividade de extraordinária importância na oposição, apresentando alternativas políticas, programáticas e mesmo de estilo aos governos e aos governantes em funções.”
  • Transmissão de informação, de forma a “aumentar o nível de conhecimentos políticos da população.”

Parlamentarismo e presidencialismo

No parlamentarismo em geral o presidente ou secretário-geral do partido político que conseguiu o maior número de cadeiras no parlamento é quem governa o país, como chefe de governo e chefe do gabinete ministerial. No parlamentarismo é o rei ou o presidente da república, que são os chefes de Estado e se colocam acima dos partidos políticos.

No presidencialismo, a eleição para presidente da república é o eixo da política, em torno da qual, se dá toda a movimentação e articulações dos políticos.