Meritocracia | ver também
English: Meritocracy

Ver também

Notas

  1. Uma palavra que pode significar uma coisa e seu contrário é um enantiosema.
  2. a b Marie Duru-Bellat é professora de Sociologia no Instituto de Estudos Políticos de Paris (Sciences Po Paris, em francês) e pesquisadora no Observatoire sociologique du changement (Observatório Sociológico da Mudança, em português) e no Institut de Recherche en Education (Instituto de Pesquisa em Educação, em português).[6]
  3. François Dubet é sociólogo, ex-Diretor de Estudos da École des hautes études en sciences sociales (EHESS, em português Escola de Estudos Avançados em Ciências Sociais).
  4. a b Frédéric Gonthier é Mestre de Conferências em Ciência Política.[12]
  5. Agnès van Zanten é socióloga especializada em questões ligadas à educação e Diretora de Pesquisa do Centre national de la recherche scientifique, mais conhecido pela sigla CNRS (em português, Centro Nacional da Pesquisa Científica).[13]
  6. Vincent Dupriez é professor de Ciências da Educação na Universidade Católica da Lovaina, em francês Université catholique de Louvain (UCLouvain).
  7. Georges Felouzis é professor de sociologia na Universidade de Genebra.[16]
  8. Éric Charbonnier é analista na Divisão de Indicadores e Análises da OCDE.[6]
  9. "Aristocracia", do grego antigo — αριστοκρατία (aristokratíā) — significa governo dos melhores e "meritocracia" significa governo dos que tem mérito.

Referências

  1. Young, Michael (29 de junho de 2001). «Down with meritocracy» (em inglês). The Guardian. Politics. Consultado em 24 de dezembro de 2018 
  2. Maroy, Christian (27 de janeiro de 2012). «La méritocratie : seule en cause ?» (em francês). SociologieS. Le Mérite contre la justice. Consultado em 24 de dezembro de 2018 
  3. Bourdieu, Pierre (1989). La noblesse d'État : grandes écoles et esprit de corps. Col: Le sens commun (em francês). [S.l.]: Les Éditions de Minuit. pp. 545–546. 569 páginas. ISBN 2707312789. Consultado em 24 de dezembro de 2018 
  4. a b Tenret, Élise (15 de dezembro de 2008). «L'école et la croyance en la méritocratie scolaire» (PDF) (em francês). Université de Bourgogne. 410 páginas. Sociologie. Consultado em 24 de dezembro de 2018 
  5. a b Daverne‑Bailly, Carole (25 de setembro de 2012). «L'école et la méritocratie» (em francês). Sociologie. Comptes rendus. Consultado em 24 de dezembro de 2018 
  6. a b c d Duru-Bellat, Marie; Charbonnier, Éric (19 de abril de 2010). «Qu'est-ce qu'une école juste ?» (em francês). Ressources en Sciences économiques et sociales. Consultado em 25 de dezembro de 2018 
  7. Duru-Bellat, Marie (2002). Les Inégalités sociales à l’école. Genèse et mythes (em francês). [S.l.]: Presses universitaires de France 
  8. Dubet, François (18 de dezembro de 2006). «François Dubet : "L'égalité des chances, le pire des systèmes, mais il n'y en a pas d'autres"» (entrevista) (em francês). Le Monde. Société. Consultado em 24 de dezembro de 2018 
  9. Gonçalves, Ana Maria (9 de agosto de 2017). «Os privilegiados estão preparados para a verdadeira meritocracia?». The Intercept-Brasil. Consultado em 24 de dezembro de 2018 
  10. Nicolaidis, Clémence (23 de maio de 2011). «Elise Tenret, Les étudiants et le mérite» (em francês). Lectures. Les comptes rendus. Consultado em 25 de dezembro de 2018 
  11. Fox, Margalit (25 de janeiro de 2002). «Michael Young, 86, Scholar; Coined, Mocked 'Meritocracy'» (em inglês). NYT. Consultado em 24 de dezembro de 2018 
  12. a b c Gonthier, Frédéric (2007). «L'égalité méritocratique des chances : entre abstraction démocratique et réalisme sociologique». L'année sociologique (em francês). Paris: PUF. pp. 151–176. Consultado em 25 de dezembro de 2018 
  13. a b Zanten, Agnès van (23 de junho de 2006). «La fin de la méritocratie ? Les stratégies éducatives des classes moyennes et supérieures» (em francês). Éducation & Politiques. Consultado em 25 de dezembro de 2018 
  14. Rayou, Patrick; Zanten, Agnès Van; Tenret, Élise, eds. (2011). «37 : « Méritocratie »». Les 100 mots de l'éducation. Col: Que sais-je ?, 3926 (em francês). [S.l.]: Presses Universitaires de France. 128 páginas. ISBN Resumo divulgativoLectures (29 de dezembro de 2011) 
  15. Dupriez, Vincent (2012). «TENRET Élise. L'école et la méritocratie. Représentations sociales et socialisation scolaire § Notes critiques». Revue française de pédagogie (em francês). pp. 151–176. Consultado em 25 de dezembro de 2018 
  16. a b c Felouzis, Georges (27 de janeiro de 2012). «Le modèle scolaire français contre la justice sociale». sociologies.revues.org (em francês). SociologieS. Consultado em 25 de dezembro de 2018 
  17. Duru-Bellat, Marie (2009). Le mérite contre la justice. Col: Nouveaux débats (em francês). [S.l.]: Presses de Sciences. 166 páginas. Consultado em 25 de dezembro de 2018. Resumo divulgativo (14 de setembro de 2009)