Zumbi
English: Zombie

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Zumbi (desambiguação).
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde março de 2014). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser acadêmico)
Uma representação de um zumbi, no crepúsculo, em um campo de cana-de-açúcar.

Zumbi (pt-BR) ou zombie (pt) é uma criatura cujo estereótipo se define, nos livros e na cultura popular, como um cadáver reanimado usualmente de hábitos noturnos,[1] que vive a perambular e a agir de forma estranha e instintiva; um morto-vivo;[2] um ser privado de vontade própria,[2] sem personalidade. Histórias de zumbis têm origem no sistema de crenças espirituais e nos rituais do vodu haitiano: segundo crenças populares, o vodu faz com que uma pessoa morta volte à vida à procura de vingança com aquelas pessoas que lhe teriam feito mal. Histórias contam sobre trabalhadores controlados por um poderoso feiticeiro.[3][4]

Segundo o estereótipo popular, um zumbi é um ser humano dado como morto que, após sepultado, foi posteriormente desenterrado e reanimado por meios desconhecidos. Devido à ausência de oxigênio na tumba, os mortos vivos seriam reanimados com morte cerebral e permaneceriam em estado catatônico, criando insegurança, medo e portando-se de forma a ver os seres humanos normais como presas.

Os zumbis não são por completo míticos. Há rituais necromânticos, em particular ligados à religião do vodu haitiano, que, realizados com o intuito maligno de subjugar e gerar subserviência a seus invocadores, trazem, à realidade, o conceito de zumbi. Auxiliados pelos efeitos psicológicos das crenças socialmente difundidas, os rituais de zumbificação, se não alcançam em plenitude seu intento, são por certo bem eficazes em induzir comportamentos em suas vítimas que pouco ficam a dever aos comportamentos estereotípicos dos zumbis míticos.[4]

Zumbis também são bem reais entre outras espécies animais, cujos comportamentos dos espécimes infectados podem ser drasticamente modificados e controlados por patógenos hospedeiros. O comportamento do animal é usualmente modificado de forma a garantir a disseminação do agente patogênico. Como exemplo, há fungos que transformam formigas e outros insetos em "zumbis";[5] e há vermes que zumbificam lesmas.[6] A figura dos zumbis humanos ganhou destaque no gênero de filme de terror principalmente graças ao filme de 1968 "Night of the Living Dead", de George A. Romero.

Etimologia

"Zumbi" provém do termo quimbundo nzumbi, que significa "duende",[7] "defunto, cadáver".[8] "Zombi" também é outro nome da serpente vodu Iwa Damballah Wedo, com origem nas línguas nigero-congolesas. A palavra também é semelhante a Nzambi, palavra quicongo que significa "deus".

Uma curiosa lenda, ainda de origem desconhecida, foi disseminada no início do século XVI na Europa Ocidental. Um indivíduo chamado Alexander Zombie, que sofria de narcolepsia, foi dado como morto. Poucas horas antes do enterro, Alexander acordou. Dali em diante, diversas menções a "Zombie" eram feitas a fenômenos de pessoas que voltavam da morte.[carece de fontes?]