Vitória (Espírito Santo)

Município de Vitória
"Ilha do Mel"
"Cidade Sol"
"Capital da beleza"
"Cidade Ilha"
"Vix"
Do topo, em sentido horário: Catedral Metropolitana; vista da avenida Saturnino de Brito; Parque Pedra da Cebola; Palácio Anchieta; Píer de Iemanjá na Praia de Camburi e Terceira Ponte.

Do topo, em sentido horário: Catedral Metropolitana; vista da avenida Saturnino de Brito; Parque Pedra da Cebola; Palácio Anchieta; Píer de Iemanjá na Praia de Camburi e Terceira Ponte.
Bandeira de Vitória
Brasão de Vitória
BandeiraBrasão
Hino
Fundação8 de setembro de 1551 (467 anos)
Gentílicovitoriense
LemaVictoria
"Vitória"
Padroeiro(a)Nossa Senhora da Vitória
Prefeito(a)Luciano Rezende (PPS)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Vitória
Localização de Vitória no Espírito Santo
Vitória está localizado em: Brasil
Vitória
Localização de Vitória no Brasil
20° 19' 08" S 40° 20' 16" O20° 19' 08" S 40° 20' 16" O
Unidade federativaEspírito Santo
Região intermediária

Vitória IBGE/2017[1]

Região imediata

Vitória IBGE/2017[1]

Região metropolitanaVitória
Municípios limítrofesNorte: Serra;
Sul: Vila Velha;
Oeste: Cariacica;
Distância até a capital1 238 km[2]
Características geográficas
Área96,536 km² [3]
DistritosGoiabeiras e Vitória (sede)[4]
População358 267 hab. (ES: 4º) –  estatísticas IBGE/2018[5]
Densidade3 711,23 hab./km²
Altitude12 m
Climatropical
Fuso horárioUTC−3
Indicadores
IDH-M0,845 (BR: 5º) – muito alto PNUD/2010[6]
PIBR$ 23 370 919 mil IBGE/2014[7]
PIB per capitaR$ 66 375,05 IBGE/2014[7]
Página oficial
Prefeiturawww.vitoria.es.gov.br
Câmarawww.cmv.es.gov.br

Vitória é um município brasileiro, capital do estado do Espírito Santo, na Região Sudeste do país. É uma das três capitais do país cujo centro administrativo e a maior parte do município estão localizados em uma ilha, no caso, a Ilha de Vitória[8] (as outras ilhas-capitais são Florianópolis, em Santa Catarina, e São Luís, no Maranhão). Situada a 20º19'09' de latitude sul e 40°20'50' de longitude oeste, Vitória limita-se ao norte com o município da Serra, ao sul com Vila Velha, a leste com o Oceano Atlântico e a oeste com Cariacica.

Com uma população de 358 267 habitantes, segundo estimativas de 2018 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a cidade é a quarta mais populosa do estado (atrás dos municípios limítrofes de sua região metropolitana: Vila Velha, Serra e Cariacica) e integra uma metrópole denominada Grande Vitória, com cerca de 2 milhões de habitantes. Vitória é cercada pela Baía de Vitória e é uma ilha de tipo fluviomarinho, mas outras 34 ilhas e uma porção continental também fazem parte do município, perfazendo um total de 93,381 km².[9] Originalmente eram 50 ilhas, muitas das quais foram agregadas por meio de aterro à ilha maior.

A cidade tem o 5.º melhor índice de desenvolvimento humano (IDH) entre todos os municípios brasileiros. Em 2015, foi considerada a 2.ª melhor cidade para se viver no Brasil pela Organização das Nações Unidas (ONU).[10] Em uma pesquisa de 2017, Vitória foi classificada como a terceira melhor capital brasileira para se viver.[11]

A capital capixaba também foi eleita a cidade com o melhor capital humano do Brasil, segundo a revista Exame.[12] Segundo estudo do Instituto de Longevidade Mongeral Aegon feito em 2017, a cidade é a 9ª melhor cidade para se envelhecer no país.[13] Além disso, Vitória tem o melhor índice de bem-estar urbano entre as capitais brasileiras e possui sete entre os 20 melhores bairros de todo país por IDH-M.[14]

História

Primeiros povos

Centro histórico.

No século XVI, quando os primeiros colonizadores portugueses chegaram à região da atual Vitória, a mesma era disputada por três grupos indígenas diferentes: os goitacás (procedentes do sul), os aimorés (procedentes do interior) e os tupiniquins (procedentes do norte). O donatário português da capitania do Espírito Santo, Vasco Fernandes Coutinho, fundou, em 1535, a atual cidade de Vila Velha, que passou a ser a capital da capitania.[15]

Devido aos constantes ataques indígenas, franceses e holandeses à cidade fundada por Coutinho, os portugueses decidiram transferir a capital da capitania para a Ilha de Santo Antônio, na Baía de Vitória. A ilha era chamada pelos índios de Ilha de Guanaani. A Vila Nova do Espírito Santo, como foi denominada a nova capital, foi fundada em 8 de setembro de 1551. Posteriormente, a cidade teve seu nome mudado para o nome atual, Vitória, em memória da vitória em uma grande batalha comandada pelo donatário da capitania, Vasco Fernandes Coutinho, contra os goitacás.[carece de fontes?]

Consolidação

Vista da cidade de Vitória (c. 1903)

Até o século XIX, os limites da capital capixaba eram o atual Forte de São João, onde atualmente está localizado o Clube de Regatas Saldanha da Gama, próximo ao Centro da cidade, e o morro onde funciona o atual hospital da Santa Casa de Misericórdia, no bairro Vila Rubim. A cidade foi sendo construída nas partes altas, o que deu origem a diversas ruas estreitas. A parte de baixo foi sujeita a ataques e, devido a isso, foram construídos vários fortes na beira do mar.[carece de fontes?]

Vitória em 1937. Arquivo Nacional.

Em 24 de fevereiro de 1823 (17 de março de 1829), a vila de Vitória foi elevada a cidade, mas seu isolamento insular evitava seu desenvolvimento. A partir do ano de 1894, com o ciclo do café, iniciaram-se, na ilha, diversos aterros nas partes baixas da cidade, alterando a forma da ilha e modernizando-a. Foram construídos, após disso, diversos bairros e escadarias e foram derrubados casarões. Além disso, foi melhorado o saneamento.[carece de fontes?]

Em 1941, surgiu o primeiro cais na capital e, em 1927, a ponte que ligou a ilha ao continente. O porto se desenvolveu. Em 1949, foram feitos mais aterros e foram construídas amplas avenidas. Depois dessas várias mudanças, a cidade tornou-se o maior centro do Espírito Santo. Em 1970, o Porto de Vitória se tornou um dos mais importantes do país, e a capital começou a se industrializar. A modernização da ilha gerou o desaparecimento de quase todos os vestígios da Colônia e do Império na ilha.[carece de fontes?]