Viseu

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Viseu (desambiguação).
Viseu
Brasão de ViseuBandeira de Viseu

ViseuLandscape.jpg
Vista para a Sé e Misericórdia de Viseu.
Localização de Viseu
GentílicoViseense
Área507,10 km²
População99 274 hab. (2011)
Densidade populacional
N.º de freguesias25
Presidente da
câmara municipal
Almeida Henriques (PSD)
Fundação do município
(ou foral)
1123 (foral)
Região (NUTS II)Centro (Região das Beiras)
Sub-região (NUTS III)Dão-Lafões
DistritoViseu
ProvínciaBeira Alta
Oragoorago maior:
São Teotónio
orago menor:
São Mateus
Feriado municipal21 de setembro (São Mateus)
Código postal3510 - Viseu
Sítio oficialwww.cm-viseu.pt
Municípios de Portugal Flag of Portugal.svg

Viseu é uma cidade portuguesa do distrito homónimo, situada na província da Beira Alta, Região das Beiras e sub-região do Dão-Lafões, com cerca de 68000 habitantes[1], sendo a quarta maior cidade da região do Centro de Portugal depois de Coimbra, Aveiro e Leiria.

É sede de um concelho com 507,10 km² de área[2] e 99 274 habitantes (2011),[1][3] dividido em 25 freguesias.[4] Viseu é centro da Comunidade Intermunicipal de Viseu Dão Lafões, composta por 14 municípios e servindo uma população de cerca de 270 000 habitantes. Este é limitado a norte pelo concelho de Castro Daire, a nordeste por Vila Nova de Paiva, a leste por Sátão e Penalva do Castelo, a sudeste por Mangualde e Nelas, a sul por Carregal do Sal, a sudoeste por Tondela, a oeste por Vouzela e a noroeste por São Pedro do Sul. Para além de sede de distrito e de concelho, Viseu é igualmente sede de diocese e de comarca.

Segundo um inquérito de opinião organizado pela DECO de 2007 sobre qualidade de vida, Viseu é a 17.ª cidade europeia com maior qualidade de vida entre as 76 do estudo, sendo ainda a primeira das 18 cidades capitais de distrito portuguesas com melhor qualidade de vida.[5] Em 2012 foi considerada, mais uma vez, a cidade portuguesa com melhor qualidade de vida.[6] 2017 é o ano oficial para visitar Viseu. Em 2018, Viseu é "Cidade Europeia do Folclore".

Símbolos e etimologia

Há menos de 10 anos foi encontrada uma ara no morro, ocupado pela sé catedral, que permitiu conhecer qual o nome, até aos dias de hoje mais antigo do lugar que viria a ser conhecido como Viseu. A ara votiva tinha uma inscrição latina e a leitura proposta pelo epigrafista Luís Fernandes é a seguinte:

“Às deusas e deuses vissaieigenses. Albino, filho de Quéreas, cumpriu o voto de bom grado e merecidamente.”

Segundo o mesmo especialista a ara datará possivelmente do séc. I e o nome do local seria Vissaium que se transformou em Vis(s)eum (Era Romana) e mais tarde em Viseo (Idade Média), Vizeu e Viseu[7]. Este achado permitiu recuar cinco séculos, uma vez que a forma Viseo, era conhecida por constar em documentos autênticos do séc. VI.

Entre os anos 712 e 1057, período da ocupação muçulmana, Viseu era conhecida por Castro Vesense - Vesi significada "visigodo".

A lenda representada no brasão da cidade, refere-se a o rei Ramiro II de Leão que, em viagem para outras terras, conheceu Sara, a irmã de Alboazar, rei do castelo de Gaia, por quem se apaixonou. Tal foi a paixão que se apoderou do rei, que este raptou Sara. Ao saber do sucedido, o irmão de Sara vingou-se raptando a esposa do rei, D.ª Urraca. Ferido no orgulho, D. Ramiro teria escolhido em Viseu alguns dos seus melhores guerreiros para o acompanharem, penetrando sorrateiramente no castelo, e deixando os guerreiros nas proximidades. Enquanto Alboazar caçava, D. Ramiro conseguiu entrar no castelo e encontrar D.ª Urraca que, sabendo da traição do marido, recusou-se a acompanhá-lo. Quando Alboazar regressou da caça, D. Urraca decide vingar-se do marido mostrando-o ao raptor. Ramiro, aprisionado e condenado à execução, pede para, como último desejo, morrer ao som da sua buzina, que era o sinal que tinha combinado com os soldados para entrarem no castelo. Ao final do sexto toque, os soldados cercam imediatamente o castelo, incendiando-o. Alboazar morreria às mãos dos soldados do rei Ramiro.