Vinte Mil Léguas Submarinas

Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o livro de Julio Verne. Para outros significados, veja 20.000 Léguas Submarinas.
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde dezembro de 2014). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser acadêmico)
Vinte Mil Léguas Submarinas
20000 title 0a.jpg
Capa de Vingt mille lieues sous les mers.
Autor(es)Júlio Verne
IdiomaFrancês
País França
SérieLes voyages extraordinaires
Lançamento1869
Edição portuguesa
TraduçãoG. Borges de Avelar; Francisco Gomes Moniz
EditoraDavid Corazzi
Lançamento1887
Cronologia
Os Filhos do Capitão Grant
Autour de la Lune

Vinte Mil Léguas Submarinas (no original, em francês: Vingt mille lieues sous les mers) é uma das obras literárias mais famosas do escritor Júlio Verne. Originalmente publicada em forma de uma série no periódico Magasin d'Éducation et de Récréation, de Março de 1869 a Junho de 1870, teve uma edição ilustrada publicada em Novembro de 1871, com 111 ilustrações por Alphonse de Neuville e Édouard Riou.[1]

Enredo

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Como a grande maioria das obras de Júlio Verne, esta é muito baseada nos conhecimentos da época (meados do século XIX), em conjunto, claro, com a rica e vasta imaginação de Verne.

Em Vinte Mil Léguas Submarinas, Verne concebe um submarino, o Náutilus, completamente autónomo do meio terrestre, movido somente a electricidade. O engenheiro e dono de tal feito, é o capitão Nemo, que, com sua tripulação, cortou qualquer relação com as nações e com a humanidade. Vivem somente do que o mar lhes dá - a comida, a matéria prima que necessitam para a produção de electricidade, tudo vem do mar.

Mas a humanidade, não conhecendo a existência desta obra prima de engenharia que o capitão Nemo criou em segredo, e, quando este, com ou sem intenção, começou a provocar desastres em navios e embarcações, o mundo começou a temê-lo, julgando-o um monstro marinho, um narval gigante, começando assim a caça à quimera.

O Professor Aronnax, naturalista francês, Conseil, seu criado, e Ned Land, arpoador exímio de nacionalidade canadiana, partem no navio Abraham Lincoln da marinha norte-americana, juntamente com toda a sua tripulação, com o intuito de caçar e livrar os mares de tal aberração.

No contacto com o monstro, o Abraham Lincoln é danificado até ao ponto de não poder prosseguir viagem. Aronnax, Conseil e Ned Land são atirados ao mar onde são recolhidos pelo submarino, e assim feitos prisioneiros, mas com a liberdade de poderem andar à vontade neste navio que navega abaixo do nível do mar.

Durante vários meses, o Náutilus percorreu dezenas de milhares de quilómetros sob as águas, passando por variadíssimos lugares e peripécias. O título do livro se refere a essa distância, usando a unidade arcaica légua.[2]

A rota do Nautilus
Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.