V-2
English: V-2 rocket

Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde setembro de 2013). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser acadêmico)
Aggregat-4 / Vergeltungswaffe-2
Fusée V2.jpg
Réplica em tamanho real de uma V2 no museu de Peenemünde, Alemanha.
TipoMíssil balístico de único estágio
Local de origemAlemanha Nazista Alemanha Nazi
História operacional
Em serviço1944 a 1959
Utilizadores Alemanha Nazi

Pós-guerra:
 Reino Unido
 Estados Unidos
 União Soviética
GuerrasSegunda Guerra Mundial
Histórico de produção
CriadorMittlewerk GmbH
Data de criação1944
Custo unitário100,000 RM Janeiro de 1944, 50,000 RM Março de 1945[1]
Especificações
Propelente3.810 kg (8.400 £) 75% etanol / 25% de água 4910 kg (£ 10.820) e oxigênio líquido
Altitude de vôo206 km (128 milhas) de altitude máxima se lançado verticalmente.
Velocidademáxima: 5.760 kmh
Sistema de
orientação
Giroscópios do tipo PIGA[2]
Plataforma de
lançamento
Meillerwagen, móvel

O foguete V2 (sigla em alemão para Vergeltungswaffe - arma de vingança), ou simplesmente V2 - (cujo nome-código alemão original era A4[3]), foi o primeiro míssil balístico, tendo sido usado pela Alemanha durante as últimas fases da Segunda Guerra Mundial principalmente contra alvos britânicos e belgas. Recebeu este nome porque era uma arma alemã que se seguiu ao V-1, uma bomba que voava como avião a jato.

O engenheiro mecânico alemão Wernher von Braun foi, ao lado de Arthur Rudolph, Kurt H. Debus e outros, um de seus principais desenvolvedores na estação experimental do exército alemão de Peenemünde.[4] O verdadeiro nome do foguete era Aggregat-4 (A-4), mas ele ficou mais conhecido pelo nome Vergeltungswaffe 2 (Arma de Vingança 2, parte das Armas-V), dado pelo então ministro da propaganda Joseph Goebbels, já que as V2 eram lançadas como represália aos bombardeios aliados. Estima-se que cerca de 3.000 foguetes V-2 carregados com uma tonelada de amatol foram lançados sobre os inimigos da Alemanha.

Posteriormente à Segunda Guerra, von Braun fora transferido pelo serviço de inteligência militar americano para os EUA. Tanto o governo norte-americano quanto a URSS utilizaram a tecnologia desenvolvida para o foguete V2 como base para a corrida espacial e armamentista, culminando no desenvolvimento dos foguetes utilizados na primeira missão do programa espacial soviético, Vostok I, e dos foguetes Saturno, que impulsionaram as naves da Missão Apollo até a Lua.

Dificuldades do projeto do foguete

Até 1942 nenhum foguete grande havia deixado o solo, muito embora todo o funcionamento das V2 e dos futuros foguetes tenha sido descrito muito antes por pioneiros como Konstantin Tsiolkovsky (União Soviética) e Hermann Oberth (Alemanha). O norte-americano Robert Hutchings Goddard foi mais longe ao construir pequenos foguetes capazes de atingir grandes altitudes.

No entanto, nada se comparava ao desafio dos projetistas da V2: um foguete pesando 14 toneladas, lançado a 80 km de altitude, desenvolvendo para isto mais de meio milhão de cavalos-vapor, tudo isto reduzido em um motor de pouco mais de 1,65 m de comprimento e pesando 450 kg.

O projeto da V2 era máxima prioridade dos nazistas, já que o destino da Segunda Guerra Mundial pouco a pouco pendia para o lado dos aliados e apenas uma arma nova e excepcional poderia mudar este rumo (ver: Wunderwaffe).