Trabalhadores do mundo, uni-vos!

  • brasão da união soviética. ao fundo o slogan socialista tomado como lema nacional, em língua russa (Пролетарии всех стран, соединяйтесь!).

    o slogan político "trabalhadores do mundo, uni-vos!" (no seu original alemão proletarier aller länder, vereinigt euch!), um dos mais famosos gritos de protesto do socialismo, vem do manifesto comunista (1848) de karl marx e friedrich engels.[1][2][3][4][5] traduzida literalmente ficaria "proletários de todos os países, uni-vos!" ou "proletários de todo o mundo, uni-vos!",[6] mas foi popularizada como "trabalhadores do mundo, uni-vos, vós não tendes nada a perder a não ser vossos grilhões", misturando as três últimas frases do manifesto comunista.[6] uma variação desta frase ("trabalhadores de todas as terras, uni-vos") está escrita no túmulo de marx.[7]

    a máxima socialista foi adotada como lema da então união das repúblicas socialistas soviéticas, dissolvida no final de 1991.

    referências

  • ligações externas

Brasão da União Soviética. Ao fundo o Slogan socialista tomado como lema nacional, em língua russa (Пролетарии всех стран, соединяйтесь!).

O slogan político "Trabalhadores do mundo, uni-vos!" (no seu original alemão Proletarier aller Länder, vereinigt euch!), um dos mais famosos gritos de protesto do socialismo, vem do Manifesto Comunista (1848) de Karl Marx e Friedrich Engels.[1][2][3][4][5] Traduzida literalmente ficaria "Proletários de todos os países, uni-vos!" ou "Proletários de todo o mundo, uni-vos!",[6] mas foi popularizada como "Trabalhadores do mundo, uni-vos, vós não tendes nada a perder a não ser vossos grilhões", misturando as três últimas frases do Manifesto Comunista.[6] Uma variação desta frase ("Trabalhadores de todas as terras, uni-vos") está escrita no túmulo de Marx.[7]

A máxima socialista foi adotada como lema da então União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, dissolvida no final de 1991.

Referências

  1. Gabrijela Kišiček; Igor Ž. Žagar (3 de outubro de 2013). What Do We Know About the World?: Rhetorical and Argumentative Perspectives. [S.l.]: University of Windsor. p. 471. ISBN 978-0-920233-70-2. One of the most famous rallying cries of communism Workers of the world, unite! 
  2. Simon Levis Sullam (21 de outubro de 2015). Giuseppe Mazzini and the Origins of Fascism. [S.l.]: Palgrave Macmillan US. p. 91. ISBN 978-1-137-51459-2. only a few years later, would give the famous rallying cry Workers of t... 
  3. Rick Sirmon (30 de novembro de 2011). In Search of George Washington: The Story of the 28th Amendment. [S.l.]: Xlibris Corporation. p. 98. ISBN 978-1-4653-9768-3. slogan “Workers of the World Unite. ... is the famous rallying cry of Communism foundin Marx's 1848 publication, The Communist Manifesto. 
  4. Edward R. Kantowicz (1999). The Rage of Nations. [S.l.]: Wm. B. Eerdmans Publishing. p. 21. ISBN 978-0-8028-4455-2. titled The Communist Manifesto, which contained the famous rallying cry: "Workers of the w... 
  5. Ronald Niezen (15 de abril de 2008). A World Beyond Difference: Cultural Identity in the Age of Globalization. [S.l.]: John Wiley & Sons. p. 129. ISBN 978-1-4051-3710-2. The famous rallying cry from The Communist Manifesto, “workers of the world unite!” was meant only to hasten the [...] 
  6. a b «Translator's note to the Communist Manifesto». Marxists.org. Marxist Internet Archive. Consultado em 20 de dezembro de 2018 
  7. Wheen, Francis (2002). Karl Marx: A Life. [S.l.]: New York: Norton. Introduction