Tonga
English: Tonga

Disambig grey.svg Nota: Para a aldeia de Mustang, Nepal, veja Muktinath.
Pule'anga Fakatu'i 'o Tonga (tonganês)
Kingdom of Tonga (inglês)

Reino de Tonga
Bandeira de Tonga
Brasão de armas de Tonga
BandeiraBrasão de armas
Lema: Ko e Otua mo Tonga ko hoku tofi'a
("Deus e Tonga são minha herança")
Hino nacional: Koe Fasi Oe Tu'i Oe Otu Tonga
Gentílico: tonganês[1]
tonga[2]

Localização de Tonga

Localização de Tonga
CapitalNuku'alofa
21°08'S 175°12'W
Cidade mais populosaNuku'alofa
Língua oficialTonganês e inglês
GovernoMonarquia constitucional
 - ReiTupou VI
 - Primeiro-ministroPōhiva Tuʻiʻonetoa
Independênciado Reino Unido 
 - Data4 de junho de 1970[3] 
Área 
 - Total747 km² (172.º)
 - Água (%)4
População 
 - Estimativa para 2013[4]106 322 hab. (178.º)
 - Censo 2008104 000 hab. 
 - Densidade162 hab./km² (50.º)
PIB (base PPC)
 - TotalUS$ 801,7 milhões (208.º)
 - Per capitaUS$ 7 700 (136.º)
IDH (2017)0,726 (98.º) – alto[5]
MoedaPa'anga (TOP)
Fuso horárioUTC+13
 - Verão (DST)UTC+14[6]
Org. internacionaisComunidade das Nações
Cód. Internet.to
Cód. telef.+676

Tonga (pronúncia em português[ˈtõgɐ]; pronúncia em inglês[ ˈtɒŋə]), oficialmente Reino de Tonga,[7] (em tonganês: Pule'anga Fakatu'i 'o Tonga; em inglês: Kingdom of Tonga) é um país da Oceania, integrante da Polinésia e formado pela união de 177 ilhas de mesmo nome, também conhecidas como Ilhas Amigáveis.[7] Através de seu território marítimo, faz fronteira ao norte com o território ultramarino francês de Wallis e Futuna e com Samoa; a nordeste com a Samoa Americana; a leste com os territórios de Niue e das Ilhas Cook, pertencentes à Nova Zelândia; e a oeste com Fiji. Ao sul, as ilhas mais próximas são as Kermadec, também sob domínio da Nova Zelândia. Sua capital é Nuku'alofa, que também é o seu principal centro urbano.[7]

Com uma área de 747 km², Tonga é o 172.º maior país do mundo em área territorial. Sua população é ligeiramente superior aos 100 000 habitantes, colocando o reino na 178.ª posição entre os países mais populosos e resultando numa densidade demográfica de 153 hab./km².

O arquipélago de Tonga foi descoberto e explorado pelos holandeses Willem Schouten e Jacob Le Maire, em 1616. Em 1900, o território tornou-se um protetorado britânico. Em 1970, foi concedida a independência à ilha, que se tornou membro da Organização das Nações Unidas (ONU), do Secretariado da Comunidade do Pacífico — antes chamado de Comissão do Pacífico Sul — e do Fórum das Ilhas do Pacífico. O reino é uma monarquia constitucional, chefiada pelo rei Tupou VI, no poder desde 2012.

Em muitas línguas polinésias, a palavra "Tonga" significa "sul".[8] Provavelmente, o arquipélago recebeu este nome devido à sua localização ao sul das ilhas de Samoa.[8] No entanto, para os tonganeses o nome de seu país significa "jardim".[9][10]

História

Ver artigo principal: História de Tonga

Evidências arqueológicas mostram que os primeiros colonos de Tonga chegaram navegando das Ilhas Santa Cruz (politicamente são parte das Salomão, mas seu ecossistema de florestas úmidas é o mesmo de Vanuatu) nas primeiras migrações do povo ancestral conhecido como Lápita (os descendentes diretos atuais desse povo são os melanésios) para o crescente Fiji-Tonga-Samoa, berço da cultura polinésia, em 1 500 a.C. Chegaram em Tonga em alguma data entre o ano 1 500 a.C. e o ano 1 000 a.C.[11]

Os Lapitas eram um povo avançado, que vivia da pesca e da horticultura, navegava e produzia cerâmica. Esse povo viveu e se reproduziu durante mil anos nas ilhas de Tonga, Samoa, e Fiji, antes de novos exploradores descobrirem o Arquipélago das Marquesas, o Taiti e o restante das ilhas do Pacífico Sul.[11] Por esses motivos, as ilhas de Tonga, Samoa e Fiji são conhecidas como o "Berço da cultura e civilização da Polinésia".[12]

Monumento em homenagem aos tonganeses que participaram da Primeira Guerra Mundial.

No século XII os tonganeses criaram uma rede de interação, composta por aventureiros, guerreiros e navegadores, que ficou conhecida como Tu’i Tonga, ou Império de Tonga, que foi um poderoso império e conquistou muitas ilhas vizinhas de Niue até Tikopia.[12]

No Século XVII, uma guerra civil eclodiu em Tonga. Foi nessa época que os primeiros europeus chegaram — em 1616, com a dupla Willem Schouten e Jacob Le Maire, os navegadores neerlandeses que descobriram uma rota para as ilhas do Pacífico e depois publicaram suas aventuras num diário. Em 1643 o descobridor da Tasmânia e da Nova Zelândia, Abel Tasman, passou pelas ilhas de Tongatapu e Ha'apai. Um século depois, em 1773, Tonga foi visitada pelo ilustre Capitão Cook, descobridor oficial da Austrália e do Havaí. Os primeiros missionários passaram por lá em 1797 e em 1822, sendo o principal deles Walter Buller, missionário metodista, que converteu vários tonganeses.[13]

Em 1845 Tonga foi unida ao Reino da Polinésia pelo rei Taufa’Ahau conhecido também como rei George Tupou I, o primeiro rei de Tonga. Em 1875, com a ajuda de um missionário inglês chamado Shirley Baker, o rei George declarou Tonga uma monarquia constitucional e nomeou Shirley Baker seu primeiro-ministro. Tonga adotou o estilo real europeu, criou um código civil e limitou o poder dos chefes tribais.[13]

Em 18 de maio de 1900 Tonga se tornou um protetorado britânico sob um tratado de amizade. Tonga só reconquistaria sua independência plena em 1970, quando o tratado de amizade chegou ao fim e Tonga deixou de ser território sob administração britânica. O país entrou para as Nações Unidas em 1999.[13]

Mesmo quando exposta a forças colonizadoras, Tonga sempre teve um rei nativo de ascendência indígena, fato que faz de Tonga um caso único no Pacífico, que orgulha muito os tonganeses e os faz confiar no seu sistema de governo.[12][13]

Como a única monarquia soberana entre as nações insulares do oceano Pacífico, a nação tem uma história singular como nação sendo a única ilha da região que conseguiu evitar a colonização formal.[14]