Tiago, o Justo

Disambig grey.svg Nota: Para Tiago, filho de Alfeu, veja Tiago, filho de Alfeu. Para Tiago, o Menor, veja Santiago Menor.
São Tiago, o Justo
Ícone de Tiago
Patriarca de Jerusalém,
Apóstolo, Mártir e Adelphotheos
Nascimento? em ?
Mortec. 62 d.C. em Jerusalém
Veneração porToda cristandade
Festa litúrgica3 de maio na Igreja Católica;
1 de maio na Comunhão Anglicana;
23 de outubro na Igreja Luterana;
Atribuiçõescajado de tintureiro; segurando um livro
PolêmicasTiago é por vezes identificado como sendo ora Tiago, filho de Alfeu, ora Tiago Menor. Não há consenso sobre a sua relação exata com Jesus Cristo.
Gloriole.svg Portal dos Santos

São Tiago, o Justo (em hebraico: יעקב; em grego: Iάκωβος), morto em 62 d.C., também conhecido como Tiago de Jerusalém, Tiago Adelfo (de Tiago Adelphoteos) ou ainda Tiago, irmão do Senhor, foi uma importante figura nos primeiros anos do Cristianismo. A Enciclopédia Católica conclui que, baseado no relato de Hegésipo, Tiago, o Justo, é o mesmo que o apóstolo conhecido por Tiago Menor, e, em linha com a maior parte dos interpretes católicos, é também Tiago, filho de Alfeu e o Tiago, filho de Maria de Cleofas[1]. Ele não deve ser confundido, porém, com o também apóstolo conhecido por Tiago Maior[1].

Tiago, o Justo, era o líder do movimento cristão em Jerusalém nas décadas seguintes à morte de Jesus, embora informação sobre a sua vida seja escassa e ambígua. Diversas fontes primitivas citam-no como sendo irmão de Jesus. Historiadores já interpretaram isto de diversas maneiras, como sendo irmão num "sentido espiritual", ou literalmente, significando que Tiago era mesmo um parente de Jesus - meio-irmão, irmão de criação, primo, outro parente e mesmo irmão de sangue. A mais antiga liturgia cristã sobrevivente, a chamada Liturgia de São Tiago , o chama de "irmão de Deus" (Adelphotheos)[2].

Com exceção de um punhado de referências nos Evangelhos, as principais fontes de sua vida são os Atos dos Apóstolos, as Epístolas paulinas, o historiador Flávio Josefo e o autor cristão Hegésipo. Acredita-se que ele seja o autor da Epístola de Tiago no Novo Testamento, o primeiro dos Setenta Apóstolos e o autor do Decreto Apostólico de Atos 15. Na Epístola aos Gálatas, Paulo de Tarso o descreve em sua visita a Jerusalém, onde ele encontrou com Tiago e esteve com Simão Pedro.

Sua festa é junto com a do apóstolo Filipe.

Nome

Tiago é chamado de "o Justo" por causa de sua retidão e religiosidade[3][4]. O nome também nos ajuda a distingui-lo de outras importantes figuras da igreja antiga de mesmo nome, como Tiago, filho de Zebedeu.

Ele é por vezes chamado, no Cristianismo oriental, como Tiago Adelfoteu, ou seja, Tiago, o irmão de Deus (em grego: Iάκωβος ο Αδελφόθεος), baseado na referência da Liturgia de São Tiago e no Novo Testamento, embora diferentes interpretações sobre a sua relação precisa com o Jesus se desenvolveram com base nas crenças cristãs sobre Maria, que foi designada Teótoco ("Mãe de Deus") em 431 no Concílio de Éfeso. Portanto, ele pode simplesmente ter sido o primo de Jesus e ter sido chamado como "o irmão de nosso Senhor".