Senegal
English: Senegal

République du Sénégal (francês)
República do Senegal
Bandeira do Senegal
Brasão de armas do Senegal
BandeiraBrasão de Armas
Lema: "Un peuple, un but, une foi" ("Um povo, uma meta, uma fé")
Hino nacional: Pincez Tous vos Koras, Frappez les Balafons
("Todos toquem suas corás, batam seus balafons"
Gentílico: senegalês/senegalesa [1][2]

Localização de República do Senegal

Capital17° 27' O[2]
Cidade mais populosaDacar
Língua oficialFrancês²
GovernoRepública semipresidencialista unitária
 - PresidenteMacky Sall
 - Primeiro-ministroMohamed Dionne
 - Presidente do ParlamentoBertrand Konaté
Independênciada França 
 - Data4 de abril de 1960 
Área 
 - Total196 722 km² (85.º)
 - Água (%)2,1
 FronteiraMauritânia (N), Mali (E), Guiné, Guiné-Bissau (S), e Gâmbia (W)
População 
 - Estimativa para 201714 668 522[3] hab. (71.º)
 - Densidade74,56 hab./km² 
PIB (base PPC)Estimativa de 2007
 - TotalUS$ : 20,610 bilhões (114.º)
 - Per capitaUS$ : 1685 (146.º)
IDH (2017)0,505 (164.º) – baixo[4]
Gini (2001)41,3[5]
MoedaFranco CFA (XOF)
ClimaTropical
Org. internacionaisONU, UA, G15, CEDEAO, Francofonia, União Latina, CPLP (observador), ZPCAS
Cód. ISOSEN
Cód. Internet.sn
Cód. telef.+221

Mapa de República do Senegal

¹ Corá (um tipo de arpa) e Balafon (espécie de xilofone) são instrumentos musicais típicos do Senegal.
² O uólofe é a língua franca e a mais falada no Senegal, porém não possui status oficial.

O Senegal, oficialmente República do Senegal (em francês, République du Sénégal), é um país localizado na África Ocidental. Faz fronteira com o Oceano Atlântico a oeste, com a Mauritânia ao norte e ao leste, com o Mali, a leste, e com a Guiné e a Guiné-Bissau ao sul. A Gâmbia forma um quase-enclave no Senegal, penetrando mais de 300 km para o interior. As ilhas de Cabo Verde estão localizados 560 km da costa do Senegal. O país deve o seu nome ao rio que faz fronteira com ele para o leste e para o sul e sobe no Futa Jalom na Guiné. O clima é tropical e seco com duas estações: a estação seca e a estação chuvosa.

O atual território do Senegal tem visto o desenvolvimento de vários reinos, como o Império Uolofe, vassalo dos impérios sucessivos de Gana, Mali e Songhai. Depois de 1591, ele sofreu a fragmentação política do Oeste Africano consecutivo na Batalha de Tondibi. No século XVII, vários contadores pertencentes a vários impérios coloniais europeus se estabeleceram ao longo da costa, eles servem para apoiar o comércio triangular. A França assumiu ascendência gradual para os outros poderes e ergueu Saint Louis, Gorée, Dacar e Rufisque em comunas francesas regidas pelo estatuto dos quatro municípios. Com a Revolução Industrial, a França queria construir uma ferrovia para ligar e Lat Dior entrou em conflito com o rei Damel do Caior. Este conflito fez com que a França elevasse o Reino de Caior à categoria de protetorado em 1886, um ano após a Conferência de Berlim. A colonização de toda a África Ocidental é então preparada e Saint Louis e Dacar vão-se tornar duas capitais sucessivas da África Ocidental Francesa, criada em 1895. Dacar mais tarde se tornou a capital da República do Senegal, no momento da independência em 1960.

O país faz parte da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental. Desde 2 de abril de 2012, o presidente do país é Macky Sall. Integrado com os principais órgãos da comunidade internacional, o Senegal também faz parte da União Africana (UA) e da Comunidade dos Estados do Sahel-Saara.

Etimologia

O Senegal é nomeado a partir do rio Senegal, cuja etimologia é polêmica. Uma teoria popular (proposta por David Meakin em 1853) é que ela decorreria da expressão "sunu gaal" que significa, na Língua uolofe, "nossa canoa". sendo resultante de uma falha de comunicação entre marinheiros portugueses do século XV e os pescadores uolofes. A teoria da "nossa canoa" foi popularmente adotada no Senegal moderno por seu charme, sendo frequentemente usada para invocar o sentimento de solidariedade nacional (por exemplo, na expressão "estamos todos na mesma canoa").

Historiadores e linguistas modernos, no entanto, acreditam que o nome provavelmente se refere aos berberes sanhajas, que habitavam o lado norte do rio, ou à cidade medieval de Sangana, localizada perto da foz do rio e descrita pelo geógrafo árabe Albacri em 1068.