Seicheles
English: Seychelles

Repiblik Sesel (crioulo seichelense)
République des Seychelles
(francês)
Republic of Seychelles (inglês)

República das Seicheles / Seychelles [1][2][3]
Bandeira das Seychelles
Brasão de armas das Seychelles
BandeiraBrasão de armas
Lema: Finis Coronat Opus  (Latim)
"O Final Coroa o Trabalho"
Hino nacional: Koste Seselwa
Gentílico: seichelense, seychellense

Localização Seychelles Seychelles

Sudeste da África
Capital55° 27' E
Cidade mais populosaVictoria
Língua oficialInglês, francês e Crioulo de Seychelles
GovernoRepública presidencialista
 - PresidenteDanny Faure
 - Vice-presidenteVincent Mériton
Independênciado Reino Unido 
 - Data29 de Junho de 1976 
Área 
 - Total459 km² (181.º)
População 
 - Estimativa para 201694 228 hab. (195.º)
 - Densidade190 hab./km² 
PIB (base PPC)Estimativa de 2008
 - Per capitaUS$ 24 726,09 (39.º)
IDH (2017)0,797 (62.º) – alto[4]
MoedaRupia das Seychelles (SCR)
Fuso horário4
Cód. Internet.sc
Cód. telef.+248

Mapa Seychelles Seychelles

Seychelles,Paraíso Africano

As Seicheles[5][6][7][8][9] ou Seychelles[10][11][12] (em inglês e francês, Seychelles;[13] em seichelense, Sesel), oficialmente República das Seicheles ou Seychelles, são um país insular localizado no Oceano Índico ocidental, constituído por 115 ilhas distribuídas entre vários arquipélagos localizados a norte e nordeste de Madagáscar. Fazem parte das Seicheles as Ilhas Seicheles propriamente ditas, as Ilhas Amirante, as ilhas Farquhar, as ilhas Aldabra e algumas outras ilhas dispersas. Além de Madagáscar, os seus vizinhos mais próximos são as Maurícias, a sudeste, as Comores e Mayotte, a sudoeste, e as Ilhas Gloriosas, a sul. A capital do país é Victoria. Juntamente com a Tunísia, Líbia, Botswana e as Maurícias, são os únicos países do continente africano com Índice de Desenvolvimento Humano considerado alto.[14]

História

Ver artigo principal: História das Seychelles

Embora mareantes austronésios ou mercadores árabes possam ter sido os primeiros a visitar as desabitadas Seychelles, o primeiro registro europeu conhecido do avistamento das ilhas ocorreu em 1502, pelo almirante português Vasco da Gama, que atravessou as Ilhas Amirante, nomeando-as em honra de si próprio (ilhas do Almirante). A primeira visita a terra registrada e a primeira descrição escrita do arquipélago deve-se à tripulação do East Indiaman inglês Ascension em 1609. Fazendo parte da rota comercial entre a África e a Ásia, as ilhas eram ocasionalmente utilizadas por piratas até os franceses iniciarem o controlo do arquipélago em 1756, quando a Pedra da Possessão foi colocada pelo Capitão Nicholas Morphey. As ilhas foram nomeadas em honra de Jean Moreau de Séchelles, Ministro das Finanças de Luís XV.[15]

Os Britânicos disputaram o controle das ilhas com os Franceses entre 1794 e 1812. Jean Baptiste Quéau de Quincy, o administrador francês das Seychelles durante os anos da guerra com o Reino Unido, preferiu não resistir quando os navios inimigos chegaram. Em vez disso, Quincy negociou com sucesso a capitulação aos Britânicos, que conferiu aos colonos uma posição privilegiada de neutralidade.

Finalmente, a Grã-Bretanha acabou assumindo o controle total após a rendição das Ilhas Maurícias em 1812, o que foi formalizado em 1814 no Tratado de Paris. As Seychelles tornaram-se uma colónia realenga separada das Maurícias em 1903 e a independência foi conseguida em 1976, sob a forma de república inserida no Commonwealth. Em 1977, um golpe de estado depôs o primeiro presidente da república, James Mancham, substituindo-o por France Albert René. A constituição de 1979 declarou um estado socialista uni-partidário, e assim permaneceu até 1991. O primeiro rascunho da nova constituição não obteve os 60% de votos requeridos em 1992, mas uma versão emendada foi aprovada em 1993. Nas eleições presidenciais de Julho de 1993, o até então ditador Albert René foi eleito com 59% dos votos totais. Actualmente a República de Seychelles tem um sistema político multipartidário, constituído por um presidente, como chefe de Estado e Governo, que dirige um gabinete de 13 ministros. Já o Poder Legislativo é atribuído à Assembleia Nacional, com 32 membros.