Revolução Política

A Revolução política , na teoria trotskista, ocorre quando um governo é substituído de forma abrupta, ou a forma de governo for alterada, mas onde as relações de propriedade predominantemente são deixadas intactas. As revoluções na França, em 1830 e 1848 são frequentemente citados como exemplos de revoluções políticas [1] .

As Revoluções políticas se diferem das Revoluções sociais justamente porque nestas as relações de propriedade mudam de classe social . O livro de Leon Trotsky A Revolução Traída [2], é onde existe um maior desenvolvimento desta teoria

Origens

O movimento trotskista defende a revolução política nos Estados operários degenerados opondo-ao à contra-revolução capitalista. Tais revoluções políticas preveem a derrubada dos governos burocráticos, substituindo-os governos baseados na democracia operária, mantendo estatais as relações de produção [1].

Apesar do movimento trotskista não reconhecer qualquer revolução política nos Estados operários degenerados, viu uma forte possibilidade na Revolução Húngara de 1956 e na Primavera de Praga de 1968 na Tchecoslováquia, antes de ser esmagadas pela invasão soviética. Outra revolta vista por uma parte dos que se colocam como trotskistas como tendo a possibilidade de revolução política era os protestos da Praça de Tiananmen de 1989 , esmagadas pelo Partido Comunista da China .

A visão da Revolução política é diametralmente oposta aos movimentos que levaram à contra-revolução capitalista como o golpe de Boris Yeltsin na URSS em 1991 e o do Solidarnosc de Lech Walesa na Polônia.