Reino da Irlanda



Ríoghacht Éireann
Kingdom of Ireland

Reino da Irlanda
Coat of arms of the Lordship of Ireland.svg
1542 – 1800Flag of the United Kingdom.svg
FlagBrasão
BandeiraBrasão de armas
Localização de Irlanda
Reino da Irlanda em 1789.
ContinenteEuropa
RegiãoIlhas Britânicas
PaísReino Unido e República da Irlanda
CapitalDublin
Língua oficialIrlandês e inglês
ReligiãoCatolicismo, Anglicanismo e Presbiterianismo
GovernoMonarquia constitucional
Monarcas
 • 1542–1547Henrique VIII (primeiro)
 • 1760–1800Jorge III (último)
Lorde Tenente
 • 1542–1548Anthony St Leger (primeiro)
 • 1798–1800Charles Cornwallis (último)
Secretário Chefe
 • 1660Matthew Locke (primeiro)
 • 1798–1800Robert Stewart (último)
LegislaturaParlamento
 - Câmara SuperiorCâmara dos Lordes
 - Câmara InferiorCâmara dos Comuns
Período históricoSéculos XIV a XVIII
 • 1542Ato da Coroa da Irlanda
 • 1642–1652Guerras confederadas
 • 1652–1660Comunidade
 • 31 de dezembro de 1800Ato de União
Área
 • 1700–180084 421 km2
População
 • 1700 est.3 milhões 
 • 1800 est.5 5 milhões 
MoedaLibra irlandesa

O Reino da Irlanda (em irlandês: Ríocht na hÉireann) foi o nome dado ao Estado irlandês a partir de 1541, pelo Ato da Coroa da Irlanda de 1542 do Parlamento da Irlanda. O novo monarca substituiu o Senhorio da Irlanda, que havia sido criado em 1171. O rei Henrique VIII, tornou-se assim, o primeiro Rei da Irlanda desde 1169. O Reino da Irlanda deixou de existir quando a Irlanda uniu-se à Grã Bretanha para formar o Reino Unido, em 1801.

Motivo para a criação

O papa Adriano IV, um inglês, havia concedido à monarquia anglo-normanda a ilha da Irlanda como uma possessão feudal em 1155, pela bula (Laudabiliter), que permitiu à monarquia inglesa atuar como governante da Irlanda. Isto foi confirmado por seu sucessor, o Papa Alexandre III, em 1172, mas nominalmente a Irlanda permaneceu uma suserania papal. Com a excomunhão pela Igreja do rei da Inglaterra, Henrique VIII, em 1533, a posição constitucional do Estado inglês na Irlanda tornou-se incerta. Henrique rompeu com a Santa Sé e tornou-se o chefe da recém criada Igreja Anglicana, a fim de obter uma anulação do casamento, que o papa, Clemente VII, havia recusado. Como conseqüência, Henrique não mais reconheceu a soberania da Igreja Católica Romana sobre a Irlanda. Como solução para este problema, Henrique foi proclamado rei da Irlanda pelo Ato da Coroa da Irlanda de 1542 aprovado pelo Parlamento irlandês.

Contudo, o novo reino não foi reconhecido pelas monarquias católicas da Europa. A bula pontifícia de 1555 nomeou Maria I como a Rainha da Irlanda, reconhecendo assim a ligação pessoal com a Coroa da Inglaterra, no direito canônico.

Deste modo, o trono da Irlanda foi ocupado pelo Rei da Inglaterra, representando o recém criado Reino da Irlanda pela união pessoal com o Reino da Inglaterra. Em 1603, o trono da Inglaterra foi ocupado pelo Rei da Escócia, que posteriormente levou à formação do Reino da Grã-Bretanha em 1707, quando os parlamentos dos dois reinos fundiram-se em uma sessão na sede do parlamento inglês em Westminster, Londres. Em 1801, os parlamentos irlandês e britânico uniram-se da mesma maneira para formar o Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda.