Região Metropolitana de São Paulo

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja São Paulo (desambiguação).
Região Metropolitana de São Paulo
Localização
Localização da Região Metropolitana de São Paulo
São Paulo satellite image, Landsat-5 2010-04-18 (cropped).jpg
Unidade federativa São Paulo
Lei14 (federal), 94 (estadual)
Data da criação8 de junho de 1973 (46 anos)
Número de municípios39
Cidade-sedeSão Paulo
Regiões metropolitanas limítrofesJundiaí
Sorocaba
Baixada Santista
Vale do Paraíba
Características geográficas
Área7 946,84 km²
População21 571 281 hab. () Estimativa Populacional IBGE/2018[1]
Densidade2 714,45 hab./km²
IDH0,794 () – alto PNUD/2010[2]
PIBR$ 947 608,81 (em milhões) Seade/2013[3]
PIB per capitaR$ 47 156,64 Seade/2013[4]

Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), também conhecida como Grande São Paulo, é a maior região metropolitana do Brasil, com cerca de 21,5 milhões de habitantes, e uma das dez regiões metropolitanas mais populosas do mundo. Reúne 39 municípios do estado de São Paulo em intenso processo de conurbação. O termo refere-se à extensão da capital paulista, formando com seus municípios lindeiros uma mancha urbana contínua. Ela foi instituída por uma lei federal de 1973. No entanto, sua existência legal e política dependia da aprovação de uma lei estadual específica, de acordo com a Constituição Federal de 1988, no 3.º parágrafo do artigo 25, que atribuiu aos Estados a responsabilidade pela criação das regiões metropolitanas.[5]

A população, segundo a estimativa calculada para 1º de julho de 2018, era de 21 571 281 habitantes. Sua população é superior a de vários países do mundo, como o Chile (17 248 450), Holanda (17 100 475) e Portugal (10 487 289), além de ser mais populoso que a Bolívia, o Paraguai e o Uruguai juntos. Se a Região metropolitana de São Paulo fosse uma nação, seria a 55ª mais populosa do mundo.

Outras regiões próximas a São Paulo são também regiões metropolitanas do estado, como Campinas, Baixada Santista, Vale do Paraíba e Sorocaba; outras cidades próximas compreendem aglomerações urbanas em processo de conurbação, como Jundiaí.

O chamado Complexo Metropolitano Expandido, megalópole da qual a Grande São Paulo faz parte, ultrapassa os 32,2 milhões de habitantes, aproximadamente 75% da população do estado. As regiões metropolitanas de Campinas e de São Paulo, são interligadas pela aglomeração Urbana de Jundiaí, e formam a primeira macrometrópole do hemisfério sul, unindo 72 municípios que, juntos, abrigam 12% da população brasileira.[6]

Geografia

Área

Imagem de satélite do Complexo Metropolitano Expandido à noite.
Imagem de satélite mostrando as regiões metropolitanas de São Paulo (centro), Campinas (acima) e da Baixada Santista à noite, a partir da Estação Espacial Internacional.

A área da Região Metropolitana da São Paulo – 7 946 quilômetros quadrados [7] – corresponde a menos de um milésimo da superfície brasileira e pouco mais de 3% do território paulista. Tem aproximadamente as mesmas dimensões de algumas nações, como Líbano (10 452 km²) e Jamaica (10 991 km²), e superiores às de países como Luxemburgo (2 586 km²).[carece de fontes?]

A área urbanizada compreende 2 200 quilômetros quadrados, ou seja, algo em torno de 221 mil quarteirões. Entre 1962 e 2002, a mancha urbana passou de 874 km² para 2.209 km² – o que, em termos de espaço, é praticamente o mesmo que incorporar, em quarenta anos, uma cidade do porte de Piracicaba. A metrópole sofre com o processo de conurbação, o qual fez com que as cidades perdessem seus limites físicos - devido ao crescimento da área urbana de São Paulo em direção às cidades vizinhas - dando origem a uma mancha urbana contínua.[carece de fontes?]

Clima

Na prática o clima da Região Metropolitana de São Paulo é o Tropical de altitude, tipo Cwa, porém muitos acreditam ser do tipo Subtropical por estar com a maior parte desta área, um pouco, ao sul do Trópico de capricórnio. A Topografia e a proximidade do mar (Maritimidade), cerca de 70km, são os principais fatores que influenciam o clima desta imensa região metropolitana. As Frentes Frias que vêm do oceano sobem por baixo e por cima do planalto atingindo a escarpa sul da RMSP sentido Barlavento, soprando a umidade por toda a região. O relevo acima de 760m de altitude causa um considerável declínio nas temperatura, especialmente durante às noites.[carece de fontes?]

Então Considera-se o fato de ser Subtropical pela posição geográfica ao sul deste trópico. Diferentemente do clima Subtropical do restante do país (com precipitações constantes e frequentes o ano todo), o clima Subtropical da Grande São paulo é muito semelhante ao clima Tropical de Altitude Cwa ocorrido em cidades como em São José dos Campos, Campinas e São Carlos. Sendo Assim, o clima de toda a Região Metropolitana de SP, é o Subtropical, tipo Cwa, com invernos secos, e frios para os padrões brasileiros, sendo, estes, pouco frios ou amenos, e apresentando verões úmidos, e relativamente quentes, com temperaturas que raramente ultrapassam os 35ºC e em condições bastante chuvosas.[carece de fontes?]

Em âmbito geral, o clima da RMSP: O Verão é quente e chuvoso. E o Inverno é ameno e subseco. Podendo apresentar pequenas variações de temperaturas em diversas partes da mesma, podendo o clima ser amenizado ou agravado pela presença de fatores que geram microclimas diferenciados entres as cidades da RMSP. Estes climas são diferenciados somente pela presença de áreas mais verdes ou mais elevadas, ou até próximo às escarpas da serra do mar facilitando a umidade pela maritimidade sob alguns municípios do sul da Região Metropolitana. O município mais frio da RMSP é o de Vargem Grande Paulista, pois fatores como ser o mais alto na área urbana, e possuir uma forte presença de Mata Atlântica no seu entorno urbano e dentro do mesmo, facilita a perda de temperatura local, além de ser uma das primeiras áreas significativamente urbanas quando viemos sentido Curitiba-São Paulo, isso faz dela um microclima diferenciado nas proximidades ocidentais da Grande-São Paulo.[carece de fontes?]