Reformismo (marxismo)

Social-democracia  v   

Reformismo é a crença de que através de mudanças graduais e dentro das instituições existentes pode-se mudar fundamentalmente o sistema econômico e as estruturas políticas da sociedade. Essa crença surgiu de oposição ao socialismo revolucionário, que afirma que a revolução é necessária para que possam ocorrer fundamentais mudanças estruturais.

O reformismo é para ser distinguido de reformas pragmáticas. O primeiro refere-se à crença de que uma acumulação de reformas pode eventualmente levar a um sistema econômico e a uma forma de sociedade totalmente diferente.[1]

Visão geral

Existem dois tipos de reformismo: o primeiro não tem a intenção de trazer o socialismo ou mudança econômica fundamental para a sociedade, o segundo tipo é baseado na crença de que enquanto as reformas não são socialistas em si mesmos, elas podem ajudar ao popularizar as causa do socialismo entre a classe trabalhadora. O debate sobre a capacidade da reforma social-democrata de levar a uma transformação socialista da sociedade dura a mais de um século de idade.

O reformismo é criticado por ser paradoxal: ele busca superar o sistema econômico existente, mas, ao mesmo tempo tenta melhorar as condições do capitalismo tornando-o mais tolerável para a sociedade. De acordo com Rosa Luxemburgo, sob o reformismo "... (o capitalismo) não é derrubado, mas é, pelo contrário, reforçado pelo desenvolvimento de reformas sociais".[2]