Pequim
English: Beijing

Pequim
Símbolos de Pequim.
Símbolos de Pequim.
Localização de Pequim na China
Localização de Pequim na China
Coordenadas 39° 54' 20" N 116° 23' 29" E
PaísChina China
PrefeitoChen Jining
Área 
  Total16.801,25 km²
População 
  Cidade (2018[1])21,450,000
    Densidade  1.300/km²
  Urbana21,450,000
  Metro24,000,000
Fuso horário+8 (UTC)
Website: www.beijing.gov.cn

Pequim (em chinês 北京; em pinyin Běijīng e Wade-Giles Peiching; AFI: Loudspeaker.svg? /pèɪtɕíŋ/) é a capital da República Popular da China e uma das metrópoles mais populosas do mundo. Em 2013 a população da cidade foi estimada em 20 150 000 habitantes. A cidade, localizada no norte da China, é governada como uma municipalidade diretamente controlada pelo governo nacional, com 14 distritos urbanos e suburbanos e dois condados rurais.[2][3] O Município de Pequim é cercado pela província de Hebei, com excepção da municipalidade vizinha de Tianjin, ao sudeste.[4]

A cidade é a segunda maior do país por população urbana, depois de Xangai, e é o centro político, cultural e educacional do país.[5] É a sede da maioria das maiores empresas estatais chinesas e é um importante polo de rodovias nacionais, vias expressas, ferrovias e redes ferroviárias de alta velocidade. O Aeroporto Internacional de Pequim é o segundo mais movimentado do mundo por tráfego de passageiros.[6]

A história da cidade remonta a mais de três milênios. Como a última das quatro grandes capitais antigas da China, Pequim tem sido o centro político do país por grande parte dos últimos 800 anos.[7] A cidade é famosa por seus opulentos palácios, templos, parques, jardins, túmulos, muralhas, portões,[8] e por seus tesouros artísticos e universidades, que a tornaram um centro cultural na China.[8] A Encyclopædia Britannica observa que "poucas cidades no mundo serviram por tanto tempo como a sede política e o centro cultural de uma área tão imensa como a da China".[9] Pequim tem sete Patrimônios Mundiais classificados pela UNESCO: a Cidade Proibida, o Templo do Céu, o Palácio de Verão, os Túmulos Imperiais das Dinastias Ming e Qing, o Zhoukoudian, a Grande Muralha e o Grande Canal.[10]

Etimologia

"Pequim" significa "Capital do Norte" mantendo a tradição da Ásia Oriental de se chamar as capitais como tal em seus nomes — assim como Tóquio no Japão e Pyongyang na Coreia do Norte querem dizer "Capital do Leste" e "Capital do Oeste" respectivamente. Outras cidades que receberam nomes similares foram Nanquim ("capital do sul") e Đông Kinh, atual Hanói, no Vietnã ("capital do leste"), Quioto, no Japão, e Gyeongseong (, atual Seul), na Coreia do Sul (ambas significando simplesmente "capital"). Peking é o nome da cidade de acordo com a Romanização do Sistema Postal Chinês; a grafia se originou com os missionários franceses há cerca de 400 anos, e corresponde a uma pronúncia mais antiga, que antecede uma mudança sonora subsequente ocorrida no mandarim, na qual o [kʲ] passou a [tɕ][11] (o [tɕ] é representado no pinyin como j, como em Beijing). A pronúncia "Peking" também está mais próxima dos dialetos fujianeses de amoy e min nan, falandos na cidade de Xiamen, uma das cidades onde comerciantes europeus primeiro aportaram, no século XVI, enquanto "Beijing" se aproxima mais da pronúncia do nome da cidade no mandarim.

A cidade recebeu diversos nomes ao longo da história. Durante a Dinastia Jin era conhecida como Zhongdu (中都), e posteriormente, durante o período da dinastia mongol Yuan, como Dadu () em chinês[12] e Daidu em mongol.[13] (também registrada como Cambuluc[5] por Marco Polo). Por duas vezes em sua história seu nome foi mudado de Beijing/Peking para Beiping (ou Peiping; em chinês: pinyin: Beiping; Wade-Giles: Pei-p'ing), literalmente "Paz do Norte". Isto ocorreu pela primeira vez no reinado do Imperador Hongwu, da Dinastia Ming, e em 1928, durante o governo Kuomintang (KMT) da República da China.[5] Em cada uma destas ocasiões, a mudança envolvia a retirada do elemento do nome que significa "capital" (jing ou king, 京) para indicar o fato de que a capital nacional havia sido mudada para Nanquim (Nanjing), na província de Jiangsu. Os nomes foram restaurados posteriormente ao formato anterior, Beijing/Peking; primeiro com o Imperador Yongle, na Dinastia Ming, que voltou a transferir a capital para lá, e em 1949, quando o Partido Comunista da China fez o mesmo, após a fundação da República Popular da China.[5]

Yanjing (; pinyin: Yānjīng; Wade-Giles: Yen-ching) é outro nome popular informal em uso para a cidade, referindo-se ao antigo Estado de Yan, que existiu no local durante a Dinastia Zhou. O nome pode ser visto em diversas instituições e produtos locais, como a marca de cerveja local, Yanjing Beer, bem como a Universidade de Yenching, uma instituição de ensino superior que acabou por se fundir com a Universidade de Pequim.