Parque Estadual da Cantareira

Parque da Cantareira
Categoria II da IUCN (Parque Nacional)
Vista da cidade de São Paulo no núcleo Pedra Grande.
Localização
País Brasil
Estado São Paulo
MesorregiãoMetropolitana de São Paulo
MicrorregiõesFranco da Rocha, Guarulhos e São Paulo
Localidades mais próximasZona Norte do Município de São Paulo, Mairiporã, Caieiras e Guarulhos.[1]
Dados
Área&0000000000007916.5200007 916,52 hectares (79 2 km2)
Criação29 de agosto de 1962 (57 anos)
Visitantes47 712 (em 2007)
GestãoFundação Florestal
Coordenadas23° 24' 5" S 46° 35' 24" O
Parque da Cantareira está localizado em: Brasil
Parque da Cantareira

O Parque Estadual da Cantareira é uma Unidade de Conservação de Proteção Integral paulista que abrange parte da Serra da Cantareira. A condição de Parque Estadual foi adotada em 1962 e regularizada pelo Decreto Estadual nº 41.626 de 1963. Porém, apenas em 1968 foi publicado o decreto que oficializou sua criação (nº 10.228/68). Na época, o nome foi definido como Parque Turístico da Cantareira. No ano de 1986 ele passou a se chamar Parque Estadual da Cantareira.[2]

Em outubro do ano de 1994, a UNESCO o declarou como parte da Reserva da Biosfera do Cinturão Verde da Cidade de São Paulo.[3] Atualmente, é gerenciado pela Fundação para Conservação e a Produção Florestal do Estado de São Paulo (ou Fundação Florestal) – fundação vinculada à Secretaria do Meio Ambiente do Governo de São Paulo, que foi criada com o intuito de conservar, ampliar e administrar florestas pertencentes ao estado de São Paulo.

Sua maior proporção se encontra na Zona Norte de São Paulo,[4] mas também abrange áreas dos municípios de Mairiporã, Guarulhos e Caieiras.[5]

O parque, que possui 7.916,52 hectares, é a quarta terceira área verde urbana do país,[6] superada apenas pela Reserva Floresta Adolfo Ducke (10 000 hectares) em Manaus[7] e pelo Parque Estadual da Pedra Branca (12 500 hectares) no Rio de Janeiro.[8][9]

História

É um fragmento da Mata Atlântica com várias espécies de fauna e flora. A Serra da Cantareira foi batizada pelos tropeiros que faziam o comércio entre São Paulo e outras regiões do país, nos séculos XVI e XVII. A grande quantidade de nascentes e córregos ali encontrados forneciam água, que era armazenada em um cântaro (jarros para armazenar água) e, depois de cheios, eram colocados em prateleiras, as chamadas cantareiras. O Parque compreende parte da Serra, mas não toda ela. Oferece três trilhas: a da Figueira com 700 metros, a Pedra Grande com 7 km e a da Bica com 1 500 metros.

Atualmente com 7 916,52 ha (pouco mais de 79 quilômetros quadrados) de Mata Atlântica (Floresta Ombrófila Densa Montana) distribuídos por quatro municípios da Grande São Paulo, a área do Parque foi tombada no final do século XIX, para garantir o abastecimento de água para a cidade de São Paulo.

Desde a década de 1990 o Parque se encontra ameaçado pela especulação imobiliária, devido ao loteamento clandestino das áreas particulares contíguas, que facilita a formação de favelas no em torno e mesmo dentro da área do parque.