Panamá
English: Panama

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Panamá (desambiguação).
República de Panamá
República do Panamá
Bandeira do Panamá
Brasão de armas do Panamá
BandeiraBrasão de armas
Lema: Pro mundi beneficium
"Para o benefício do mundo"
Hino nacional: Himno Istmeño
Gentílico: panamenho[1], panamense[2]

Localização República do Panamá

Capital79° 32' O
Cidade mais populosaCidade do Panamá
Língua oficialEspanhol
GovernoRepública presidencialista
 - PresidenteLaurentino Cortizo
 - Vice-presidenteJosé Gabriel Carrizo
Independência[nota 1]da Espanha e da Colômbia 
 - da Espanha28 de novembro de 1821 
 - da Colômbia3 de novembro de 1903 
Área 
 - Total75.517 km² (115.º)
 - Água (%)2,9
 FronteiraColômbia (E) e Costa Rica (W)
População 
 - Estimativa para 2016[3]4 034 119 hab. (131.º)
 - Densidade38 hab./km² (139.º)
PIB (base PPC)Estimativa de 2014
 - TotalUS$ 67,459 bilhões*[4] 
 - Per capitaUS$ 17 809[4] 
PIB (nominal)Estimativa de 2014
 - TotalUS$ 44,789 bilhões*[4] 
 - Per capitaUS$ 11 824[4] 
IDH (2017)0,789 (66.º) – alto[5]
Gini (2009)52[6]
MoedaBalboa panamenha (PAB), e Dólar estadunidense (USD)
Fuso horário(UTC-5)
 - Verão (DST)não observado (UTC-5)
ClimaTropical e tropical úmido
Org. internacionaisONU, OMC, OEA, AEC, UNASUL (observador), Grupo do Rio, União Latina, Conferência Ibero-Americana
Cód. ISOPAN
Cód. Internet.pa
Cód. telef.+507
Website governamentalhttp://www.presidencia
.gob.pa/

Mapa República do Panamá

Panamá (pronunciado em português europeu[pɐnɐˈma]; pronunciado em português brasileiro e castelhano[panaˈma]), oficialmente República do Panamá (em castelhano: República del Panamá), é o país mais meridional da América Central. Situado no istmo que liga as Américas do Norte e do Sul, o país faz fronteira com Costa Rica, a oeste; Colômbia, a sudeste; Caribe, ao norte, e com o Oceano Pacífico ao sul. A capital é a Cidade do Panamá.

A população do país é formada por uma maioria de mestiços de índios e europeus. O setor econômico mais importante é o de serviços, que abrange as atividades financeiras e as rendas obtidas com a zona de livre-comércio de Colón, a exploração do canal e o registro de navios mercantes.[7]

Explorado e estabelecido pelos espanhóis no século XVI, o Vice-Reino de Nova Granada rompeu com o Império Espanhol, sob o nome da República da Grã-Colômbia. Quando a Grã-Colômbia foi dissolvida em 1831, o país e Nova Granada, que mais tarde se tornaria a Colômbia, permaneceram unidos. Com a retomada da construção do canal e os entraves colocados pelo governo colombiano, os Estados Unidos resolvem financiar movimentos separatistas locais de modo a controlar a região. Em 1903 Panamá se separou da Colômbia, permitindo que o Canal do Panamá fosse construído pelo Corpo de Engenheiros do Exército dos Estados Unidos entre 1904 e 1914. Em 1977, foi assinado um acordo para a transferência completa do canal dos Estados Unidos para o Panamá até o final do século XX.[8]

A receita proveniente do canal representa hoje uma parcela significativa do PIB do país. O Panamá tem a segunda maior economia da América Central,[9] além de ser a economia que mais cresce e o maior consumidor per capita da região. Em 2013, o país ficou em quinto lugar entre as nações da América Latina no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e na 59ª posição no mundo.[10] Desde 2010, o Panamá continua como a segunda economia mais competitiva da América Latina de acordo com o Índice de Competitividade Global do Fórum Econômico Mundial. A selva do país é o lar de uma abundância de plantas, animais e pássaros tropicais, sendo muitos deles endêmicos da região.[11]

Etimologia

A cidade no início, posteriormente o país, o istmo e o golfo são os lugares pelos quais foi emprestado o topônimo de uma aldeia onde os índios pescavam, na periferia da cidade fundada em 1519 com o nome de Panamá, topônimo cujo significado na língua indígena é "abundância de peixes, árvores e borboletas". Esta é a definição oficial dada em estudos sociais e livros didáticos aprovados pelo Ministério da Educação do Panamá. No entanto, outros acreditam que a palavra vem da palavra bannaba, da língua kuna, que significa "distante" ou "longe".[12]

A grafia correta é Panamá nas línguas portuguesa e castelhana e Panama nas línguas italiana, francesa, inglesa e alemã. O vocábulo panamá é a designação de um tipo de chapéu o qual fabrica-se a partir da matéria-prima das folhas de uma palmeira endêmica de cinco países da Mesoamérica que são o Panamá, a Colômbia, o Peru, e o Equador, utilizando-se, também, como sinônimo de corrupção política, escândalo financeiro, dinheiro mal administrado dos outros ou do governo, a partir das finanças ilegais praticadas por um companhia francesa denominada Compagnie Universelle du Canal Océanique que encarregava-se de construir o canal do Panamá.[13]