Ordem Soberana e Militar de Malta

Disambig grey.svg Nota: Para ordem honorífica britânica, veja Venerável Ordem de São João.
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde dezembro de 2015). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser acadêmico)
Supremus Ordo Militaris Hospitalis Sancti Ioannis Hierosolymitani Rhodius et Melitensis
Ordem Soberana e Militar Hospitalária de São João de Jerusalém, de Rodes e de Malta
Bandeira da Ordem de Malta
Armas da Ordem de Malta
Bandeira da OrdemBrasão de armas
Lema: "Tuitio Fidei et Obsequium Pauperum"  (Latim)
"Defesa da fé e assistência aos pobres"
[1]

Localização de Ordem de Malta

 - Príncipe e Grão-Mestre dos Cavaleiros HospitaláriosGiacomo dalla Torre del Tempio di Sanguinetto
 - Grão-chancelerAlbrecht Freiherr von Boeselager
 - Grão-ComandanteLudwig Hoffmann von Rumerstein
 - Grão-HospitalárioDominique de La Rochefoucauld-Montbel
 - PatronoRaymond Leo Burke
Criação 
 - Organização assistencial1048 
 - Ordem militar1136 

A Ordem de Malta[nota 1] ou Cavaleiros Hospitalários (oficialmente Ordem Soberana e Militar Hospitalária de São João de Jerusalém, de Rodes e de Malta) [nota 2] é uma organização internacional católica que começou como uma ordem beneditina fundada no século XI na Palestina, durante as Cruzadas, mas que rapidamente se tornaria numa ordem militar cristã, numa congregação de regra própria, encarregada de assistir e proteger os peregrinos àquela terra[2] e de exercer a Caridade.

Tinha como padroeiro São João Esmoler (550-619), patriarca de Alexandria[3].

Atualmente, a Ordem de Malta é uma organização humanitária soberana internacional, reconhecida como entidade de direito internacional. A ordem dirige hospitais e centros de reabilitação. Possui 12 500 membros, 80 000 voluntários permanentes e 20 000 profissionais da saúde associados, incluindo médicos, enfermeiros, auxiliares e paramédicos. Seu objetivo é auxiliar os idosos, os deficientes, os refugiados, as crianças, os sem-teto e aqueles com doença terminal e hanseníase (esta a par com a Ordem de São Lázaro), atuando em cinco continentes do mundo, sem distinção de raça ou religião.[4] Seu gentílico é maltês(esa).

Nome e insígnia

Brasão de Armas dos Cavaleiros, na fachada da igreja de San Giovannino dei Cavalieri, Florença.

O nome completo oficial é Ordem Soberana e Militar Hospitalária de São João de Jerusalém, de Rodes e de Malta,[5] ou, em italiano, Sovrano Militare Ordine Ospedaliero di San Giovanni di Gerusalemme di Rodi e di Malta. Convencionalmente, é também conhecida como Cavaleiros Hospitalários ou Ordem de Malta.

A ordem tem um grande número de conventos e associações locais ao redor do mundo, mas também existe um certo número de organizações com semelhantes nomes sonantes que não estão relacionados, incluindo diversas ordens que procuram capitalizar sobre o nome.[6]

Na heráldica eclesiástica da Igreja Católica Romana, a Ordem de Malta é uma das duas únicas (sendo a outra a Ordem Equestre do Santo Sepulcro de Jerusalém) cuja insígnia pode ser exibida em um brasão de armas clerical (leigos não têm nenhuma restrição), sendo também as duas únicas reconhecidas, histórica e juridicamente, pela Igreja Católica.[7]