Olinda
English: Olinda

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Olinda (desambiguação).
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2018). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser acadêmico)
Município de Olinda
"Primeira Capital Brasileira da Cultura"
"Capital Simbólica do Brasil"
Montagem Olinda.jpg

Bandeira de Olinda
Brasão de Olinda
BandeiraBrasão
Hino
Aniversário12 de março
Fundação12 de março de 1535 (484 anos)
Gentílicoolindense
Padroeiro(a)São Salvador do Mundo
Prefeito(a)Lupércio Carlos do Nascimento (SD)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Olinda
Localização de Olinda em Pernambuco
Olinda está localizado em: Brasil
Olinda
Localização de Olinda no Brasil
08° 00' 32" S 34° 51' 18" O08° 00' 32" S 34° 51' 18" O
Unidade federativaPernambuco
MesorregiãoMetropolitana do Recife IBGE/2008 [1]
MicrorregiãoRecife IBGE/2008 [1]
Região metropolitanaRecife
Municípios limítrofesRecife e Paulista
Distância até a capitalkm
Características geográficas
Área41,681 km² [2]
População390 771 hab. estimativa IBGE/2017[3]
Densidade9 375,28 hab./km²
Altitude16 m
ClimaTropical As'
Fuso horárioUTC−3
Indicadores
IDH-M0,735 alto PNUD/2010[4]
PIBR$ 5 272 902,49 mil (PE: 7°) (BR: 180°) – IBGE/2016[5]
PIB per capitaR$ 13 515,27 IBGE/2016[5]
Página oficial
Prefeiturawww.olinda.pe.gov.br
Câmarawww.olinda.pe.leg.br

Olinda é um município brasileiro do estado de Pernambuco, situado na mesorregião Metropolitana do Recife e na Microrregião do Recife, Região Nordeste do país. Pertence à Região Metropolitana do Recife, distando sete quilômetros da capital pernambucana.

Olinda foi a urbe mais rica do Brasil Colônia entre o século XVI e as primeiras décadas do século XVII de acordo com escritores da época como Pero de Magalhães Gândavo, chegando a ser referida como uma "Lisboa pequena", dada a opulência só comparável à da Corte portuguesa. Foi sede do Brasil colonial entre 1624 e 1625 por ocasião da primeira das invasões neerlandesas: Matias de Albuquerque foi nomeado Governador-Geral, administrando a colônia a partir de Olinda. A vila manteve-se próspera até a invasão holandesa à Capitania de Pernambuco, quando os neerlandeses, após retirar os materiais nobres das edificações para construir suas casas na capital da Nova Holanda (Recife), incendiaram Olinda. Com o término da Insurreição Pernambucana, Olinda voltou a ser a sede da capitania, porém sem a influência de outrora, o que ocasionou conflitos como a Guerra dos Mascates. Em meados do século XIX, a cidade deixou de ser a capital de Pernambuco.[6][7][8][9]

Fundada em 1535, Olinda é a mais antiga entre as cidades brasileiras declaradas Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade pela UNESCO, e foi o segundo centro histórico do país a receber tal título, em 1982, após Ouro Preto. Em que pesem a descaracterização de parte do seu casario histórico e a perda de diversos exemplares da arquitetura quinhentista com o ataque holandês, Olinda abriga dezenas de igrejas e conventos barrocos de inestimável valor histórico, e mantém o seu traçado urbano colonial. É uma localidade de grande relevo na história do Brasil.[6][7][8][9]

Olinda foi eleita a primeira Capital Brasileira da Cultura, após concorrer com as cidades de Salvador e João Pessoa.[10][11]

Etimologia

Um mito popular diz que o nome "Olinda" teria a sua origem numa suposta exclamação do fidalgo português Duarte Coelho, primeiro donatário da Capitania de Pernambuco (ou de um de seus colonos) – "Oh, linda situação para se construir uma vila!". O historiador Francisco Adolfo de Varnhagen, porém, considerava "ridícula" essa etimologia, preferindo a hipótese de uma referência a alguma localidade de Portugal (como Linda-a-Velha ou Linda-a-Pastora), ou a Olinda, personagem feminina do romance de cavalaria Amadis de Gaula, romance este muito lido na época da fundação da cidade.[12]