Muriqui-do-sul

Como ler uma infocaixa de taxonomiaMuriqui-do-sul
Muriqui no Parque do Zizo, São Miguel Arcanjo.
Muriqui no Parque do Zizo, São Miguel Arcanjo.
Estado de conservação
Espécie em perigo
Em perigo [1][2]
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Primates
Família:Atelidae
Género:Brachyteles
Espécie:B. arachnoides
Nome binomial
Brachyteles arachnoides
( Geoffroy, 1806)
Distribuição geográfica
Distribuição de Muriqui-do-sul
Distribuição de Muriqui-do-sul

O muriqui-do-sul, mono-carvoeiro ou simplesmente muriqui (Brachyteles arachnoides) é uma espécie de primata da família Atelidae e do gênero Brachyteles endêmico da Mata atlântica Brasileira. É uma das duas espécies existentes de Muriqui, sendo a outra o Muriqui do norte. Ocorre principalmente nos estados do Paraná, São paulo, Rio de janeiro, Espirito santo e Minas gerais. Com quase 1,60 m de comprimento e pesando até 15 kg, o Muriqui do sul é o maior Macaco do Novo Mundo, e o maior primata não Humano das Américas. É considerado uma espécie Em Perigo pela União Internacional para a conservação da Natureza (UICN), sobre tudo devido a destruição e fragmentação de seu habitat e pela caça ilegal.

Etimologia

Muriqui vem do tupi muri'ki e significa gente que bamboleia, que vai e vem. A espécie é conhecida como o povo manso da floresta, graças a seus hábitos pacíficos e de permanência em grupo.[3][4]