Mitologia cristã

Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde abril de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser acadêmico)

Mitologia cristã é corpo mitológico, esteja ele no Cânon bíblico ou não, das religiões cristãs. Um mito cristão é uma história que os cristãos consideram ter profundo significado religioso. Para os especialistas[carece de fontes?][quem?], este termo é usado para se referir a todas as crenças do cristianismo.

Problematização conceitual

O termo mitologia designa tanto o estudo, como a totalidade dos mitos. Com o positivismo filosófico (ver Émile Durkheim) as mitologias foram consideradas uma forma de conhecimento primitivo, ultrapassada primeiro pela Metafísica e depois pela Ciência. O termo, portanto, passou a indicar religiões do passado, com clara conotação negativa. Exemplos de mitologias, além da cristã, são: a Mitologia greco-romana e a mitologia nórdica.[1] Sendo assim, o termo mitologia cristã é normalmente utilizado por quem não acredita na religião cristã. Embora os estudiosos concordem que toda religião é formada por um conjunto de mitos, lendas e ritos.[2]

A mitologia cristã inclui o corpo de histórias que se acumularam sobre os personagens do Novo Testamento, assim como da vida dos santos. As histórias bíblicas sobre Pôncio Pilatos são exemplos de mitologia cristã[carece de fontes?]. Muitos detalhes de hagiografias estão nos padrões de mitografia cristã. Essas histórias ilustram temas cristãos, podendo eles estarem ou não na Bíblia. Outras histórias que foram eternizadas para ensinar valores ou tradições espirituais cristãs, também podem ser incluídas na categoria de mitologia cristã[carece de fontes?], como as histórias de São Jorge e São Valentim.