Mendo II Gonçalves

Mendo Gonçalves
Conde de Portucale
Reinado997-1008
Antecessor(a)Gonçalo Mendes I
Sucessor(a)Alvito Nunes e Tutadona Moniz de Coimbra
 
CônjugeTutadona Moniz de Coimbra
DescendênciaGonçalo Mendes II
Ramiro Mendes
Egas Mendes
Monio Mendes
Elvira Mendes, Rainha de Leão
Rodrigo Mendes
Ilduara Mendes, Condessa de Portucale
Aldonça Mendes
Paio Mendes
Morteentre 1 e 6 de outubro de 1008
PaiGonçalo Mendes I
MãeIlduara Pais

Mendo Gonçalves (em espanhol: Menendo González; morto em 1008) foi "conde (comes), igualmente chamado duque (dux)".[1][2][nota 1][3] Filho do conde Gonçalo Mendes e da condessa Ilduara Pais, sucedeu seu pai no governo do Condado Portucalense.

Biografia

Aparece pela primeira vez na documentação medieval em 981 confirmando umas doações ao Mosteiro de Lorvão, e a primeira vez com o título de conde em 999.[4] Governou vários territórios, incluindo o bracarense e a região de Maia em Portucale que seu pai, o conde Gonçalo Mendes havia governado anteriormente.[5][6] Presente assiduamente na corte de Bermudo II de Leão, confirma alguns dos principais actos jurídicos do monarca, como a doação do rei a Sabarico, bispo de León, em 991.[5] Mendo Gonçalves teria ainda se responsabilizado pela educação do filho de Bermudo II de Leão, Afonso, o futuro rei Afonso V de 999 até sua morte[7][8] e foi um dos regentes durante a menoridade do infante.[9] Os estados do conde foram atacados em 1002 pelo Abd al-Malik, filho do Almançor mas um ano depois, em 1003, fez a paz entre Leão e do jovem emir.[8]

No parecer de Luiz de Mello Vaz de São Payo, Mendo faleceu num ataque viquingue à Galiza; para o historiador José Mattoso, citado por Oliveira Marques, Mendo Gonçalves foi assassinado, conjectura-se, por infanções, rivais dos condes ou duques portucalenses, surgidos aos fins do século IX e desprovidos de títulos nobiliárquicos[10][11]