Maria Monforte

Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2017). Por favor, referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser acadêmico)
Maria Monforte
Personagem fictícia de Os Maias
SexoFeminino
CaracterísticasExtremamente bela e sensual, tinha os cabelos loiros, a testa curta e clássica e o colo ebúrneo
Criado porEça de Queirós
Romance(s)Os Maias

Maria Monforte é uma personagem do romance Os Maias de Eça de Queiroz.

Mulher dominadora, vem a ser a esposa de Pedro da Maia, com quem tem dois filhos: Carlos da Maia e Maria Eduarda da Maia. Um dia foge com Tancredo, um príncipe napolitano, levando Maria Eduarda e deixando o seu filho Carlos, a Pedro da Maia.

Maria Monforte, fisicamente é descrita como extremamente bela e sensual, tinha os cabelos loiros, a testa curta e clássica e o colo ebúrneo; psicologicamente era vítima da literatura romântica e daqui deriva o seu carácter pobre, excêntrico e excessivo, chamavam-lhe a negreira porque o seu pai, um Açoriano originalmente chamado Forte, que fugira por ter cometido um homicídio, levara, noutros tempos, cargas de negros para o Brasil, Havana e Nova Orleães. É uma mulher leviana e moralmente fraca e é, em parte, a culpada de todas as desgraças da família Maia.

Após a morte de Tancredo leva uma vida dissipada e morre quase na miséria. É pelas suas mãos, embora indirectamente, que a desgraça atinge a família. Por um lado, ao levar consigo a filha, separou os irmãos. Não tendo contado a Maria Eduarda a verdade sobre a sua origem, deixa esta na ignorância de que tem, em Portugal, um irmão vivo. É ela quem deixa ao Sr. Guimarães uma caixa com documentos vários, entre os quais uma carta que prova ser Maria Eduarda filha de Pedro da Maia, facto que o Sr. Guimarães também comprova.