Mandioca

Nota: Este artigo é sobre a espécie Manihot esculenta. Para outras espécies, veja Manihot.
Como ler uma infocaixa de taxonomiaMandioca
Raízes de mandioca após colheita

Raízes de mandioca após colheita
Classificação científica
Reino:Plantae
Divisão:Magnoliophyta
Classe:Magnoliopsida
Ordem:Malpighiales
Família:Euphorbiaceae
Género:Manihot
Espécie:M. esculenta
Nome binomial
Manihot esculenta
Crantz
Sinónimos
Ver texto

Mandioca, aipi, aipim, castelinha, uaipi, macaxeira, mandioca-doce, mandioca-mansa, maniva, maniveira, pão-de-pobre[1], mandioca-brava e mandioca-amarga são termos brasileiros para designar a espécie Manihot esculenta (sinônimo M. utilissima)[2]. Descrita por Crantz, é uma espécie de planta tuberosa da família das Euphorbiaceae[3]. O nome dado ao caule do pé de mandioca é maniva, o qual, cortado em pedaços, é usado no plantio. Trata-se de um arbusto que teria tido sua origem mais remota no oeste do Brasil (sudoeste da Amazônia) e que, antes da chegada dos europeus à América, já estaria disseminado, como cultivo alimentar, até a Mesoamérica (Guatemala, México).

É a terceira maior fonte de carboidratos nos trópicos, depois de arroz e milho[4][5], e um dos principais alimentos básicos no mundo em desenvolvimento, existindo na dieta básica de mais de meio bilhão de pessoas.[6] Espalhada para diversas partes do mundo, tem hoje a Nigéria como seu maior produtor[7].

Etimologia

"Mandioca" origina-se do termo tupi mãdi'og[8], mandi-ó ou mani-oca, que significa "casa de Mani"[9], sendo Mani a deusa benfazeja dos guaranis que se transforma em mani-oca. "Aipim" origina-se do termo tupi ai'pi.[10] "Maniva" origina-se do termo tupi mani'iwa.[11]