Macedónia do Norte

Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:
Република Северна Македонија
Republika Severna Makedonija

República da Macedônia do Norte
Bandeira da Macedónia
Emblema
BandeiraEmblema
Lema: Слобода или смрт
("Liberdade ou morte")
Hino nacional: Денес над Македонија
"Hoje sobre a Macedónia"
Gentílico: macedónios

Localização da Macedónia

Localização da República da Macedónia do Norte (em verde)
No continente europeu (em cinza escuro)
CapitalEscópia
41º39'N 21º43'E
Cidade mais populosaEscópia
Língua oficialMacedónio1
GovernoRepública parlamentarista
 - PresidenteStevo Pendarovski
 - Primeiro-ministroZoran Zaev
Independênciada Iugoslávia 
 - Declarada8 de setembro de 1991 
 - Reconhecida8 de abril de 1993 
Área 
 - Total25 713 km² (148.º)
 - Água (%)1,9%
 FronteiraCosovo, Sérvia, Bulgária, Grécia e Albânia
População 
 - Estimativa para 20172 103 721 hab. (143.º)
 - Censo 20022 022 547 hab. 
 - Densidade79 hab./km² (111.º)
PIB (base PPC)Estimativa de 2019
 - TotalUS$ 33,822 bilhões (121.º)
 - Per capitaUS$ 16,253 
PIB (nominal)Estimativa de 2019
 - TotalUS$ 12,383 bilhões 
IDH (2017)0,757 (80.º) – alto[1]
MoedaDinar macedónio (денар) (MKD)
Fuso horárioCET (UTC+1)
 - Verão (DST)CEST (UTC+2)
Cód. ISOMKD
Cód. Internet.mk
Cód. telef.+389

Mapa da Macedónia

1. O albanês também é falado nas províncias do Oeste da Macedónia. Em algumas áreas também é falado o turco, o sérvio, o romeno e o aromeno.

A Macedônia do Norte (pt-BR) ou Macedónia do Norte (pt) (em macedônio: Северна Македонија; transl.: Severna Makedonija) ou oficialmente República da Macedônia do Norte (pt-BR) ou República da Macedónia do Norte (pt) (em macedônio: Република Северна Македонија; transl.: Republika Severna Makedonija), é um país localizado na península balcânica, no sudeste da Europa. É um dos estados sucessores da antiga Iugoslávia, da qual declarou independência em 1991.

O país tornou-se membro das Organizações das Nações Unidas em 1993, mas, como resultado de uma disputa com a Grécia sobre o uso do nome Macedônia, foi admitido sob a descrição provisória de Antiga República Jugoslava da Macedónia (ARJM)[2] (pt) ou Antiga República Iugoslava da Macedônia (ARIM) (pt-BR) (em macedônio: Поранешна Југословенска Република Македонија — ПЈРМ),[3] um termo que também é usado por organizações internacionais como a União Europeia, o Conselho da Europa e a OTAN. Em 17 de junho de 2018, a República da Macedônia e a Grécia assinaram o acordo de Prespa, que faria com que o país mudasse seu nome para República da Macedônia do Norte, após um referendo nacional, em 30 de setembro, sobre o assunto e sobre a legislação aprovada pelo parlamento.[4][5][6] Em 11 de janeiro de 2019,[7] o parlamento macedónio aprovou a emenda constitucional que alterou o nome do país e, em 25 de janeiro,[8] a Grécia aprovou o acordo, bem como retirou o seu veto à adesão da República da Macedónia do Norte à OTAN e à União Europeia.

Um país sem saída para o mar, a Macedônia do Norte faz fronteira com o Cosovo[nota 1] ao noroeste, a Sérvia ao norte, a Bulgária a leste, a Grécia ao sul e a Albânia a oeste.[9] Constitui aproximadamente o terço do noroeste da maior região geográfica da Macedônia, que também compreende as partes vizinhas do norte da Grécia e pequenas porções do sudoeste da Bulgária e sudeste da Albânia. A geografia do país é definida principalmente por montanhas, vales e rios. A capital e maior cidade, Escópia, abriga cerca de um quarto dos 2,06 milhões de habitantes do país, cuja maioria é de etnia macedônica, um povo eslavo do sul. Os albaneses formam uma minoria significativa (em torno de 25%), seguidos pelos turcos, romanis, sérvios, bósnios, arromenos e outros.

A história da região remonta à Antiguidade, começando com o reino de Peônia, provavelmente uma política mista traco-ilíria.[10] No final do século VI a.C., a área foi incorporada ao Império Aquemênida Persa, depois anexada pelo Reino da Macedônia no século IV a.C. Os romanos conquistaram a região no século II a.C. e fizeram dela parte da província muito maior da Macedônia. A área permaneceu parte do Império Bizantino, e foi frequentemente invadida e colonizada por tribos eslavas a partir do século VI. Após séculos de disputa entre os impérios búlgaro, bizantino e sérvio, gradualmente caiu sob domínio otomano do século XIV até o início do século XX, quando seguiu as Guerras dos Balcãs de 1912 e 1913, o território moderno da Macedônia do Norte ficou sob domínio sérvio. Como consequência da Primeira Guerra Mundial (1914-1918), o país foi incorporado ao Reino da Iugoslávia, dominado pelos sérvios, que após a Segunda Guerra Mundial foi restabelecido como uma república (1945) e que se tornou a República Federal Socialista da Iugoslávia em 1963. A Macedônia do Norte permaneceu uma república socialista constituinte dentro da Iugoslávia até sua secessão pacífica em 1991.

A Macedônia do Norte é uma república parlamentar e membro da ONU e do Conselho da Europa. Desde 2005, também é candidata a ingressar na União Europeia e solicitou a adesão à OTAN.[11] Embora seja um dos países mais pobres da Europa, a Macedônia do Norte fez progressos significativos no desenvolvimento de uma economia aberta e baseada no mercado.[12][13]

Etimologia

O nome do estado deriva do grego Μακεδονία (Makedonía),[14][15] um reino (depois, região) em homenagem aos antigos macedônios. Seu nome, Maακεδόνες (Makedónes), deriva, em última análise, do antigo adjetivo grego μακεδνός (makednós), 'alto',[16] que compartilha a mesma raiz que o adjetivo μακρός (makrós), 'alto', em grego antigo.[17] Acredita-se originalmente que o nome tenha significado tanto "os que vivem nas partes altas" quanto "os altos", possivelmente descritivo do povo.[18][19] No entanto, de acordo com o linguista Robert S. P. Beekes, ambos os termos são de origem pré-grega e não podem ser explicados em termos da morfologia indo-europeia.[20]