Mês
English: Month

Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2012). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser acadêmico)

Mês é o tempo aproximado necessário à lua para efetuar uma volta ao redor da terra. Em anos normais, um mês tem em média 30 dias e 10 horas (730 h), e, em um ano bissexto, um mês tem em média 30 dias e 12 horas (732 h). Um mês corresponde a 1/12 de um ano.

História

A marcação do tempo, nas sociedades humanas desde tempos imemoriais, baseou-se em duas unidades: na óbvia alternância entre dia e noite e na quase tão óbvia distinção entre a lua cheia e a lua nova. A alternância entre verão e inverno, ou entre estações secas e úmidas, só seria cuidadosamente determinada após a invenção da agricultura. Várias sociedades atuais, que vivem da caça e da pesca, não tem noções de tempo para além do mês e da estação, e consideram que períodos de cinco ou de cinquenta anos são designados pelas mesmas palavras, "um tempo longo".[1]

Todas culturas que desenvolveram a agricultura concluíram que o retorno das estações se dava após doze ou treze lunações, mesmo antes de conseguirem computar corretamente a duração do ano trópico. Os antigos gregos e romanos, e o Islão,[Nota 1] calculam o tempo pelos movimentos da lua.[1]

Vários povos adotaram o calendário luni-solar, em que cada mês é baseado nas fases da lua (mês lunar) e o ano é baseado nas estações (ano trópico).[Nota 2] Este calendário foi usado pelos gregos, romanos, chineses, tártaros, japoneses e judeus.[1]

O calendário romano, atribuído a Rômulo, tinha dez meses, de março a dezembro, com um total de 304 dias. Numa Pompílio reformou este calendário, acrescentando dois meses, Janeiro no início e Fevereiro no fim, com meses lunares de 29 ou 31 dias, sendo necessárias várias correções, até que Fevereiro passou a ser o segundo mês.[1]

Júlio César, diante de um erro acumulado, que fazia com que o início do ano, que deveria ocorrer no inverno, estava ocorrendo no outono, aplicou uma correção, de modo que 47 a.C., ou o ano 707 A.U.C., tivesse 445 dias. Para evitar erros futuros, as durações dos meses foram fixadas, e foi definida a correção do ano bissexto. O primeiro ano deste calendário novo foi 46 a.C., um ano bissexto.[1]

O sistema proposto por César continuou sendo usado após seu assassinato, porém de forma errada, pois, em vez de um ano bissexto a cada quatro anos, foi adotado um ano bissexto a cada três anos. Este erro foi descoberto trinta e sete anos depois, e o calendário só voltou a seguir as regras atuais a partir de 7 a.C., um ano bissexto.[1]