Lituânia
English: Lithuania

Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:
Lietuvos Respublika
República da Lituânia
Bandeira da Lituânia
Brasão de Armas da Lituânia
Bandeira da LituâniaBrasão da Lituânia
Lema: "Tautos jėga vienybėje"
"A força da nação está na união"
Hino nacional: Tautiška Giesmė
Gentílico: lituano

Localização da Lituânia

Localização da Lituânia (em vermelho)
No continente europeu (em cinza)
Na União Europeia (em branco)
CapitalVilnius
54°41′N 25°19′E
Cidade mais populosaVilnius
Língua oficiallituano
GovernoRepública semipresidencialista
 - PresidenteGitanas Nauseda
 - Primeiro-ministroSaulius Skvernelis
 - Presidente do SeimasViktoras Pranckietis
Independênciado Império Russo 
 - Lituânia mencionada14 de fevereiro de 1009 
 - Fundação oficial6 de julho de 1253 
 - União pessoal com a Polónia2 de fevereiro de 1386 
 - Criação da Comunidade Polaco-Lituana1569 
 - Ocupação russo-prussiana1795 
 - Declaração da independência16 de fevereiro de 1918 
 - 1ª Ocupação soviética15 de junho de 1940 
 - Ocupação nazista 
 - 2.ª ocupação soviética1944 
 - Restauração da independência11 de março de 1990 
Entrada na UE1 de maio de 2004
Área 
 - Total65 200 km² (123.º)
 - Água (%)1,35
População 
 - Estimativa para 20172 821 674 hab. (137.º)
 - Densidade43 hab./km² (173.º)
PIB (base PPC)Estimativa de 2018
 - TotalUS$ 96,910 bilhões * (75.º)
 - Per capitaUS$ 34 829 (46.º)
IDH (2017)0,858 (35.º) – muito alto[1]
Gini (2016)37,9
Moedaeuro (EUR)
Fuso horário(UTC+2)
 - Verão (DST) (UTC+3)
Cód. Internet.lt
Cód. telef.+370

A Lituânia (em lituano: Lietuva; pronunciado: [lʲɪɛtʊˈvɐ] ()), oficialmente República da Lituânia (em lituano: Lietuvos Respublika), é uma das três repúblicas bálticas. Limita ao norte com a Letônia, ao leste e ao sul com a Bielorrússia, ao sul com a Polônia, ao sul e ao oeste com o exclave russo de Kaliningrado e ao oeste com o mar Báltico. Sua capital é a cidade de Vilnius, no leste do país. Outras cidades importantes são Kaunas e Klaipėda. É um dos países-membros da União Europeia (UE). É atualmente um país desenvolvido, possuindo bons indicadores sociais, refletindo no fato do país possuir o 35.° mais alto Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) em 2013[2], e o 41° maior PIB PPC per capita entre os países do mundo segundo dados do Banco Mundial para o ano de 2013[3].

O país apresenta taxas de crescimento vegetativo negativo, uma vez que, segundo estimativas para 2013, possuí 2 955 986 habitantes[4], uma redução de mais de 400 mil habitantes se comparado ao estimado em 2007, que foi de cerca de 3.36 milhões de pessoas naquele ano.

História

Ver artigo principal: História da Lituânia

Mencionada pela primeira vez a 14 de fevereiro de 1009, a Lituânia cresceu até se tornar uma nação relevante na Idade Média. Considera-se que a data de constituição do estado é a da coroação oficial do rei Mindaugas, a 6 de julho de 1253 em Voruta (atual Vilnius), que uniu os duques lituanos rivais numa nação e estado. Em 1241, 1259, 1275 e 1277 o reino foi alvo de reis mongóis vindos da Horda de Ouro. Em 1385 uniu-se à Polónia em união pessoal quando o rei lituano Jogaila (Jagiello, em idioma polaco) foi coroado rei da Polónia. Em 1569, a Polónia e a Lituânia formaram a Comunidade Polaco-Lituana. Com a união com a Polônia, a Lituânia transformou-se num reino independente e multi-étnico que na sua máxima extensão, no século XV, ocupou a maior parte da Europa de Leste desde o mar Báltico até ao mar Negro. Essa união manteve-se até às partições da Polónia em 1795, quando a própria Lituânia foi anexada pelo Império Russo.

A Lituânia restabeleceu a sua independência a 16 de fevereiro de 1918. Em seguida, envolveu-se em disputas territoriais ocupados pelos polacos e com a Alemanha (acerca de Klaipėda), a Polónia (acerca da capital, Vilnius, e da Lituânia Oriental). Foi anexada pela União Soviética em 1940 durante a Segunda Guerra Mundial graças a um pacto secreto germano-soviético assinado pelos ministros dos negócios estrangeiros dos dois países, Ribbentrop e Molotov (Pacto Molotov-Ribbentrop).

O período socialista terminou depois da chegada da glasnost e a Lituânia, liderada pelo movimento pela independência , anticomunista e anti-soviético, proclamou a independência a 11 de março de 1990. Foi a primeira república soviética a fazê-lo, embora as forças soviéticas tivessem sem sucesso tentado suprimir a revolta independentista até agosto de 1991, o que iria levar ao desmembramento da própria União Soviética. As últimas tropas russas saíram do país a 31 de agosto de 1993 — antes mesmo que da Alemanha Oriental.

Mapa com as mudanças ocorridas no território da Lituânia do século XIII até os dias atuais.

A 4 de fevereiro de 1991, a Islândia tornou-se o primeiro país a reconhecer a independência da Lituânia e a Suécia foi o primeiro país a abrir uma embaixada. Os Estados Unidos e vários outros países ocidentais nunca reconheceram as reivindicações da União Soviética sobre a Lituânia.

A Lituânia foi admitida nas Nações Unidas a 16 de setembro de 1991. A 31 de maio de 2001, o país tornou-se o 141.º membro da Organização Mundial do Comércio. Desde 1988, a Lituânia tem procurado estreitar os laços com o ocidente e a 4 de janeiro de 1994 tornou-se o primeiro estado báltico a pedir a entrada na OTAN, sendo convidada a iniciar as negociações a 21 de novembro de 2002 e tornando-se membro de pleno direito a 29 de março de 2004. A 1 de fevereiro de 1998, o país tornou-se Membro Associado da União Europeia, a 16 de abril de 2003 assinou o Tratado de Adesão à UE, a 11 de maio de 2003 91% dos eleitores aprovaram em referendo a adesão à União e a 1 de maio de 2004 tornou-se membro da UE, regressando ao velho objetivo proclamado em 1254 pelo rei Mindaugas de se tornar parte do ocidente e da Europa.