Linda Lovelace

Linda Lovelace
Nome completoLinda Susan Boreman
Nascimento10 de janeiro de 1949
Nova Iorque, Nova Iorque
 Estados Unidos
Morte22 de abril de 2002 (53 anos)
Denver, Colorado
 Estados Unidos
Ocupaçãoatriz pornográfica, Ativista dos Direitos Femininos e atriz.

Linda Susan Boreman (Nova Iorque, 10 de janeiro de 1949Denver, 22 de abril de 2002), mais conhecida pelo nome artístico Linda Lovelace, foi uma atriz dos Estados Unidos de filmes pornográficos.

Biografia

Linda era uma jovem de classe média de Nova Iorque, que engravidou aos 16 anos, tendo sido abandonada pelo primeiro namorado, e foi obrigada pela família a dar seu bebê para adoção, o que a fez entrar em depressão e tentar o suicídio, passando a tomar calmantes. Aos 20 anos sua vida mudou ao conhecer um homem chamado Chuck Traynor. Em pouco tempo começaram a namorar, e poucos meses depois, casaram-se. O homem carinhoso e romântico de antes deu lugar a uma pessoa perversa, que humilhava e agredia Linda. Ele passou a mantê-la em cárcere privado e a obrigou a se prostituir, ameaçando-a de morte caso não o fizesse. O mesmo oferecia a esposa para seus amigos, de quem nada cobrava, para observar os atos sexuais, e outras vezes arrumava clientes para ela. Um novo rumo sua vida tomou, quando Chuck passou a coagi-la para atuar em filmes pornográficos. Nesta época, Linda foi obrigada a manter relações sexuais com um cachorro. A jovem tornou-se mundialmente conhecida em 1972 ao protagonizar o filme Deep Throat (br: Garganta Profunda / pt: Garganta Funda), porém, anos depois passou a ser ativista contra a indústria pornográfica.

Seu monstruoso casamento teve fim em 1973, quando ela conseguiu fugir e o denunciou a polícia. Desesperada, sem conseguir emprego, continuou como atriz pornô, mas sua carreira entrou em decadência quando ela decidiu migrar de filmes pornôs pesados para produções mais leves, incluindo "Garganta funda 2" e "Linda Lovelace para Presidente", ambos fracassos de bilheteria.

Em 1980, Linda lançou uma autobiografia, Ordeal, em que revelava ter sido vítima de estupro, violência doméstica, prostituição e pornografia. A obra e um depoimento a comissões do Congresso ajudaram a investigar irregularidades na indústria pornográfica.

No livro, Linda alega que nunca recebeu nenhum salário por Garganta funda', que gravava seus filmes pornôs com uma arma apontada para a cabeça, e que o seu ex-marido teria sido pago com apenas 1250 dólares, embora o filme tivesse rendido aos seus produtores 600 milhões de dólares.

No fim dos anos 80 casou-se com Larry Marchiano, seu antigo cliente, que a tirou da prostituição e dos filmes pornográficos. Juntos, tiveram dois filhos. Em 1990 a família mudou-se para Denver. Após diversos desentendimentos, se divorciaram em 1996. Nesta época desenvolveu um novo quadro de depressão, e devido a complicações do uso de silicone, desenvolveu um câncer de mama, necessitando realizar uma mastectomia.

No início de abril de 2002 sofreu um violento acidente automobilístico, quando seu carro chocou-se contra um poste, tendo sido internada no Denver Health Medical Center, ficando em coma, falecendo semanas depois em consequência de ferimentos múltiplos por todo o corpo, que atingiram seus órgãos vitais.