Laos
English: Laos

ສາທາລະນະລັດ ປະຊາທິປະໄຕ ປະຊາຊົນລາວ
(Sathalanalat Paxathipatai Paxaxon Lao)

República Democrática Popular do Laos
Bandeira do Laos
Brasão de armas do Laos
BandeiraBrasão de armas
Lema: ສັນຕິພາບ ເອກະລາດ ປະຊາທິປະໄຕ ເອກະພາບ ວັດທະນາຖາວອນ
"Paz, Independência, Democracia, Unidade e Prosperidade"
Hino nacional: Pheng Xat Lao
("Hino Popular do Laos")
Gentílico: laosiano(a);[1][2][3][4]
laociano(a);[1][2][3][4]

Localização Laos

Capital102° 36' E
Cidade mais populosaVientiane
Língua oficialLaociano
GovernoRepública socialista unipartidária
 - Presidente e Secretário-geral do Partido Popular RevolucionárioBounnhang Vorachith
 - Vice-presidentePhankham Viphavanh
 - Primeiro-ministroThongloun Sisoulith
Independênciada França 
 - Data19 de julho de 1949 
Área 
 - Total236 800 km² (81.º)
 - Água (%)2,0
 FronteiraChina (N), Vietnã (L), Camboja (S), Tailândia e Myanmar (O)
População 
 - Estimativa para 20166 758 353[5] hab. (101.º)
 - Densidade26 hab./km² (155.º)
PIB (base PPC)Estimativa de 2018
 - TotalUS$ 53,752 bilhões[6] (177.º)
 - Per capitaUS$ 7,932[6] (136.º)
IDH (2017)0,601 (139.º) – médio[7]
Gini (2008)36,7[8]
MoedaKip (LAK)
Fuso horário(UTC+7)
 - Verão (DST)não observado (UTC+7)
ClimaSubtropical húmido
Org. internacionaisONU, ASEAN, Francofonia
Cód. ISOLAO
Cód. Internet.la
Cód. telef.+856
Website governamentalhttp://www.laogov.gov.la

Mapa Laos

O Laos,[1] [2] [3] [4] oficialmente República Democrática Popular do Laos (em laosiano: ສາທາລະນະລັດ ປະຊາທິປະໄຕ ປະຊາຊົນລາວ, translit.: Sathalanalat Paxathipatai Paxaxon Lao, pronunciado: [sǎː.tʰáː.laʔ.naʔ.lat páʔ.sáː.tʰiʔ.páʔ.tàj páʔ.sáː.són.láːw]), é um país do Sudeste Asiático, localizado na Indochina e limitado a norte pela China, a leste pelo Vietname, a sul pelo Camboja, a sul e oeste pela Tailândia e a noroeste por Myanmar. Sua população foi estimada em 6,5 milhões de habitantes em 2012.

A história do Laos é traçada desde o reino de Lan Xang, que existiu do século XIV ao XVIII, quando era dividida em três reinos separados. Em 1893, formou-se um protetorado francês na região, constituído pelos reinos de Luang Phrabang, Vientiane (Vienciana, em português europeu) e Champasak, unindo-se para formar o que hoje é conhecido como Laos. Ele rapidamente ganhou a independência em 1945, após a ocupação japonesa, mas retornou ao domínio francês até que foi concedida sua autonomia em 1949. Laos se tornou independente de facto em 1953, com uma monarquia constitucional governada por Sisavang Vong. Logo após a independência, uma longa guerra civil no país culminou com o fim da monarquia, quando o movimento comunista Pathet Lao chegou ao poder em 1975.

O Laos é uma república socialista de partido único. A capital é Vientiane (Vienciana, em português europeu). Outras importantes cidades são Luang Prabang, Savannakhet e Pakxe, e o idioma oficial é o Laociano. O Laos é um país multiétnico, sendo que os Laocianos compõem cerca de sessenta por cento da população, principalmente nas planícies. Outros grupos étnicos, como os Hmong e outras tribos indígenas, representam quarenta por cento da população e vivem nas colinas e montanhas. A economia laociana é tida como em desenvolvimento, sendo que o país é um grande gerador de eletricidade a partir de seus rios, sendo seus vizinhos, Tailândia, Vietname e China os maiores consumidores da energia produzida no país. O país é membro da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN), Cúpula do Leste Asiático (CLA) e Organização Internacional da Francofonia (OIF). Em 1997, o Laos solicitou a adesão à Organização Mundial do Comércio, e em 2 de fevereiro de 2013 foi concedido a adesão plena.

História

Ver artigo principal: História do Laos

Pré-história

Em 2009, um antigo crânio foi encontrado em uma caverna nas montanhas Annamite, no norte do Laos. O crânio é de pelo menos 46 mil anos de idade, tornando-se o mais antigo fóssil humano encontrado até hoje no sudeste da Ásia.[9] Durante o quarto milênio a.C, frascos de sepultamento e outros tipos de sepulcros sugerem uma sociedade complexa em que os objetos de bronze apareceram por volta de 1.500 a.C, e ferramentas de ferro eram conhecidas a partir de 700 a.C. O período proto-histórico é caracterizado pelo contato com civilizações chinesas e indianas. A partir do quarto para o oitavo século, as comunidades ao longo do rio Mekong começaram a se formar em cidades, ou Muang, como eram chamados.[10]

Lan Xang

O Laos traça a sua história ao Reino de Lan Xang, fundado no século XIV, por Fa Ngum, que ocupou Vientiane com 10 000 soldados Khmers. Fa Ngum era descendente de uma longa linhagem de reis laocianos, que se inicia em Khoun Boulom. Ele fez do Budismo Teravada a religião de Estado. Dentro de 20 anos de sua formação, o reino expandiu a leste e ao longo das montanhas Annamite. Seus ministros, incapazes de tolerar sua crueldade, o forçaram ao exílio na província tailandesa de Nan em 1373,[11] onde morreu mais tarde. O filho mais velho de Fa Ngum, Oun Heuan, subiu ao trono com o nome de Samsenthai e reinou por 43 anos. Durante o seu reinado, Lan Xang tornou-se um importante centro de comércio. Após sua morte em 1421, Lan Xang desabou em facções nos próximos 100 anos.

Em 1520, Photisarath subiu ao trono e transferiu a capital de Luang Phrabang para Vientiane para evitar a invasão birmanesa. Setthathirat tornou-se rei em 1548, depois que seu pai foi morto, e ordenou a construção do que viria a se tornar o símbolo de Laos, Pha That Luang. Setthathirat desapareceu nas montanhas, no caminho de volta de uma expedição militar no Camboja e Lan Xang começou a declinar rapidamente. Quando Sourigna Vongsa ascendeu ao trono, em 1637, Lan Xang expandiu ainda mais suas fronteiras. Seu reinado é frequentemente considerado como a época de ouro do Laos. Quando ele morreu, deixando Lan Xang sem um herdeiro, o reino dividiu-se em três principados. Entre 1763 e 1769, os exércitos birmaneses invadiram o norte do Laos e anexaram Luang Prabang.

Anouvong ascendeu ao trono de Vientiane apoiado pelos Siameses. Ele encorajou um renascimento das artes plásticas e da literatura laociana e melhorou as relações com Luang Phrabang. Embora ele tenha sido pressionado a prestar homenagem aos vietnamitas, ele se rebelou contra o siameses. A revolta fracassou e Vientiane foi saqueada.[12] Anouvong foi levado para Bangkok como um prisioneiro, onde morreu mais tarde.

Primórdios

A região que hoje é o Laos foi dominada pelo rei Nanzhao até o século XIV, sucedido pelo rei Lan Xang. A dinastia de Lan Xang foi ao declínio no século XVIII quando a Tailândia assumiu o controle da área setentrional do reino. No século XIX, a França que já dominava o Vietnã, assume também o protectorado do Laos, constituído pelos reinos de Luang Phrabang, Vientiane e Champasak formando assim a Indochina em 1893. Durante a Segunda Guerra Mundial, o Japão invadiu o Laos. Com o fim da guerra, em 1945, o Laos proclama o fim do protectorado, sob a liderança do rei Sisavang Vong. No entanto, a França apenas em 1949 aceita alteração ao estatuto do país: primeiro torna-se estado associado da República Francesa e em 1954 reino independente, com uma monarquia constitucional governada por Sisavang Vong.

A instabilidade política na região causada pela Guerra Fria causa uma guerra civil e diversos golpes de estado. Em 2 de dezembro de 1975 é proclamada a República e instalado o governo comunista Pathet Lao apoiado pelo Vietnã e pela União Soviética destronando o governo de Sisavang Vong.