Kublai Khan
English: Kublai Khan

Kublai Khan
Nascimento23 de setembro de 1215
Império Mongol
Morte18 de fevereiro de 1294 (78 anos)
Khanbaliq
SepultamentoBurkhan Khaldun
CidadaniaDinastia Yuan
EtniaMongóis
ProgenitoresMãe:Sorkaktani
Pai:Tolui
CônjugeChabi, Nambui, Qoruchin Khatun
Filho(s)Dorj, Zhenjin, Mangala, Nomugan, Khökhechi, Ayachi, Auruyvci, Kuokuochu, Hutulu Temür, Chzhuan Muvan Khou, Yuelie, Wuluzhen, Yuelun, Wanze, Nangjiazhen, Qoridai
Irmão(s)Dumugan, Yesubuhua, Mongke Khan, Hulagu Khan, Xuebietai, Suigedu, Moge, Bochuo, Hududu, Arik Böke, Qoridai
Ocupaçãomilitar
Causa da mortedoença

Kublai (ou Khubilai) Khan (também grafado Cublai Cã; em mongol: Хубилай хаан; em chinês: 忽必烈, pinyin: Hūbìliè; 23 de setembro de 1215[1]Pequim, 18 de fevereiro de 1294[2]) foi o quinto cagano do Império Mongol, de 1260 a 1294, e o fundador da dinastia Yuan, que dominou grande parte da Ásia Oriental. Como segundo filho de Tolui e Sorghaghtani Beki, e neto de Gengis Khan, reclamou para si o título de cagano e do Ikh Mongol Uls ("Império Mongol") em 1260, após a morte de seu irmão mais velho, Möngke, no ano anterior, embora seu irmão mais novo, Ariq Böke, também tivesse recebido este título na capital mongol de Karakorum. Eventualmente saiu vitorioso da disputa contra Ariq Böke, em 1264, e a guerra de sucessão que se seguiu essencialmente marcou o início da fragmentação do império.[3] O poder real de Kublai ficou limitado à China e à Mongólia após a vitória sobre Ariq Böke, embora sua influência ainda tenha permanecido grande no Ilcanato e, em menor escala, na Horda Dourada, as regiões ocidentais do Império Mongol.[4][5][6] Seu reino se estendeu do Oceano Pacífico até os Urais, e da Sibéria até o Afeganistão - cerca de um quinto da área conhecida do mundo, à época.[7]

Em 1271 fundou a dinastia Yuan, que dominava os territórios atualmente ocupados pela Mongólia, Tibete, Turquestão Oriental, o norte da China e boa parte da China ocidental, bem como algumas áreas adjacentes, assumindo para si o título de Imperador da China. Em 1279, as forças Yuan aniquilaram com sucesso a última resistência da dinastia Song meridional, e Kublai se tornou o primeiro imperador não chinês a conquistar toda a China, e o único khan mongol a realizar grandes conquistas depois de 1260.[8]

Como o imperador mongol que recebeu o viajante veneziano Marco Polo à China, Kublai Khan se tornou uma lenda na Europa.[8]

Juventude

Kublai, nascido em 23 de setembro de 1215, foi o segundo filho de Tolui e Sorghaghtani Beki; seguindo conselho de seu avô, Gengis Khan, sua mãe, Sorghaghtani, escolheu como ama de seu filho,uma mulher tangut budista que posteriormente foi muito homenageada por Kublai.

Ao retornar para sua terra natal, após a conquista do Império Corásmio, Gengis Khan executou a cerimônia da primeira caça com seus netos Mongke e Kublai, em 1224, próximo ao rio Ili.[9] Kublai tinha então nove anos de idade, e, juntamente com seu irmão mais velho, tinha matado um coelho e um antílope. Seu avô passou gordura dos animais mortos sobre o dedo médio de Kublai, segundo a tradição mongol.

Após a Guerra Mongol-Jin de 1236, Ogedei concedeu a província de Hebei (juntamente com seus 80.000 domicílios) à família de Tolui, que morrera em 1232. Kublai recebeu um território próprio, com 10.000 residências. Por sua falta de experiência, concedeu às autoridades locais liberdade total; a corrupção entre seus funcionários e uma política agressiva de impostos provocou a fuga de grandes números de camponeses chineses, o que levou a uma queda na arrecadação fiscal. Kublai rapidamente retornou a Hebei e ordenou diversas reformas. Sorghaghtani despachou novos funcionários para auxiliá-la, e as leis fiscais foram revistas. Graças a estes esforços, as pessoas começaram a retornar para seus lares.

O componente mais destacado e, talvez, o mais influente, da juventude de Kublai Khan foi o seu estudo e sua forte atração pela cultura chinesa contemporânea. Kublai convidou Haiyun, o principal monge budista do norte da China, para seu ordo, na Mongólia; ao conhecê-lo em Karakorum, no ano de 1242, Kublai o interrogou sobre a filosofia do budismo. Haiyun batizou o filho de Kublai, nascido em 1243, de Zhenjin ("Ouro Verdadeiro", em chinês).[10] Haiyun também apresentou a Kublai outro monge budista, ex-taoísta, Liu Bingzhong. Liu era pintor, calígrafo, poeta e matemático, e se tornou conselheiro de Kublai quando Haiyun voltou para seu templo, localizado na região da Pequim atual.[11] Kublai logo adicionou um acadêmico de Shanxi chamado Zhao Bi ao seu círculo. Kublai também empregou cercou-se de pessoas de diversas nacionalidades, ansioso por balancear adequadamente os interesses mongóis, turcomanos, locais e imperiais.