Kosovo
English: Kosovo

Republika e Kosovës (albanês)
Република Косово (sérvio)
Republika Kosovo

República do Kosovo
Bandeira do Kosovo
Brasão de armas do Kosovo
BandeiraBrasão de armas
Hino nacional: Europa (Evropa/Европа)
Gentílico: cossovar;[1][2][3] kosovar;[4][5][6][7] cosovar[7][8]

Localização Kosovo

Capital21° 10' E
Cidade mais populosaPristina (Prishtinë)
Língua oficialalbanês e sérvio
GovernoRepública Parlamentarista
 - PresidenteHashim Thaçi
 - Primeiro-ministroVago
Independênciada Sérvia 
 - Declarada17 de fevereiro de 2008 
Área 
 - Total10 887 km² 
 - Água (%)5,2
População 
 - Estimativa para 20191,809,740[9] hab. (150.º)
 - Densidade250 hab./km² 
PIB (base PPC)Estimativa de 2012
 - Total (143.º)
 - Per capitaUS$ 7 400 (139.º)
IDH (2017)0,739 (94.º) – alto[10]
MoedaEuro² (EUR)
Fuso horário(UTC +1)
 - Verão (DST)CEST (UTC+2)
Cód. telef.+383 (01.01.2015) / em 2014 : 3813

Mapa Kosovo

1 - Independência reconhecida por: Afeganistão, Albânia, Alemanha, Arábia Saudita, Austrália, Áustria, Bangladesh, Barbados, Bélgica, Bulgária, Canadá, Costa Rica, Croácia, Dinamarca, Eslovênia, Estados Unidos, Estónia, Finlândia, França, Honduras, Nova Zelândia, Holanda, Hungria, Irlanda, Itália, Japão, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malásia, Nauru, Noruega, Panamá, Peru, Polônia, Portugal, Reino Unido, Senegal, Suécia, Cingapura, Tonga, Iêmen, Suíça, Taiwan, Turquia, Andorra, Egito, Gabão, Gana, Paquistão, Líbia, Kuwait, Tanzânia, Antigua e Barbuda, Mauritânia, Chade, Serra Leoa, Malta, Suazilândia, Islândia, Mônaco, Liechtenstein, Coréia do Sul, Ilhas Marshall, Burkina Faso, San Marino, República Checa, Colômbia, Belize, Samoa, Montenegro, Macedônia, Emirados Árabes Unidos, Micronésia, Maldivas, Gâmbia, Barém, Jordânia, República Dominicana, Malaui, Vanuatu, Djibuti, Kiribati, Tuvalu, Catar, Andorra, Guiné, Níger, Benin, St. Lucia, Costa do Marfim, Haiti, Brunei, Timor Leste, Fiji, São Cristóvão e Névis, Guiana, El Salvador, Tailândia e República Federal da Somália[11][12] Não reconhecida por: Argentina, Arménia, África do Sul, Angola, Azerbaijão, Brasil, Bósnia e Herzegovina, Belarus, Bolívia, Camboja, Cazaquistão, República Popular da China, Chile, Cuba, Eslováquia, Espanha, Quénia, Filipinas, Roménia, Rússia, Síria, Grécia, Geórgia, Irão, Iraque, Israel, Índia, Indonésia, Jamaica, Lesoto, Mali, Madagascar, Marrocos, México, Namíbia, Tunísia, Ucrânia, Uruguai, Vaticano, Venezuela, Vietname, Zâmbia, Nigeria, Uganda, São Tomé e Príncipe, Zimbábue, Bahamas, Botsuana, Butão, Guatemala, Guiné-Bissau, Equador, Guiné Equatorial, Eritréia, Etiópia, Cabo Verde, Armênia, Sudão do Sul, Camarões, Coréia do Norte, Chipre, Quirguistão, Laos, Líbano, Libéria, Maurício, Moçambique, Mianmar, Moldávia, Mongólia, Nepal, Nicarágua, Paraguai, Ruanda, Seychelles, Papua Nova Guiné, São Vicente e Granadinas, Ilhas Salomão, Sri Lanka, Sudão, Suriname, Tajiquistão, Trindade e Tobago, Turcomenistão, Burundi, Uzbequistão, Dominica, Granada, Comoros, Palau, República Democrática do Congo, Argélia, República Centro-Africana, Togo e Sérvia[13].
2 - O dinar sérvio é utilizado nos enclaves sérvios e Kosovo do Norte.
3 - Oficialmente +381; alguns provedores de telemóvel utilizam +377 (Mónaco) ou +386 (Eslovénia), ao invés.

O Kosovo[14][15][16][17] (às vezes escrito Cossovo,[18][19][20][21][22][23] Cosovo[21][24][25][26] ou Kossovo[27]) (em sérvio, Косово; em albanês Kosova) é um país de reconhecimento limitado localizado na península dos Bálcãs (no sudeste da Europa), na região da antiga Jugoslávia. Desde 2008, quando declarou a sua independência de forma unilateral da Sérvia, é reconhecido como um país independente por 100 dos 193 países membros da ONU[28] incluindo Holanda, Estados Unidos, Afeganistão, Albânia, Turquia, Japão, França, Itália, Portugal, Reino Unido, Emirados Árabes Unidos, Bélgica, Colômbia e Alemanha, enquanto outros países incluindo a própria Sérvia, Israel, Rússia, China, Espanha, Venezuela, Síria, Irã, Índia, República Democrática do Congo, Nigéria, Brasil[29], México, Angola e Moçambique não o reconhecem como país independente[30].

O território kosovar fez parte dos impérios Romano, Bizantino, Búlgaro, Sérvio e Otomano e, no século XX, passou às mãos do Reino da Sérvia, e da Iugoslávia. Após o falhanço das negociações internacionais para atingir um consenso sobre o estado constitucional aceitável, o governo provisório do Kosovo declarou-se unilateralmente um país independente da Sérvia em 17 de fevereiro de 2008, sob o nome República do Kosovo, sendo reconhecido no dia seguinte pelos Estados Unidos e alguns países europeus, tais como a França, Portugal, Reino Unido e a Alemanha. Porém, o Kosovo ainda é reivindicado pela Sérvia e não recebeu o reconhecimento de outros países como a Rússia, Brasil e Espanha.

O governo sérvio reivindica o território como parte integral da Sérvia, correspondendo à Província Autônoma de Kosovo e Metohija (em sérvio, Аутономна покрајина Косово и Метохија, Autonomna pokrajina Kosovo i Metohija, e em albanês Krahina Autonome e Kosovës dhe Metohisë). A maior parte da população do Kosovo é de origem albanesa, com uma minoria sérvia que representa aproximadamente 5% da população kosovar.[31] O primeiro presidente do protetorado[32] foi Fatmir Sejdiu, do partido LDK (Lidhja Demokratike e Kosovës, "Liga Democrática do Kosovo"). O primeiro primeiro-ministro foi Hashim Thaçi.[33]

Etimologia

Kosovo ou Kossovo (transliteração do nome sérvio: Косово, pronunciado, em sérvio, "Kôssovo"; em albanês, pronunciada "Kossôvo") é o adjetivo possessivo, em língua sérvia, referente ao substantivo Kos (кос), "melro-preto" (nome de um pássaro). Kosovo, assim, significa, literalmente, "do(s) melro(s)".

O nome ganhou proeminência mundial por importante batalha, definidora da identidade sérvia, que teve lugar em 1389 na planície então chamada, em sérvio, Kosovo Polje - literalmente, "campo dos melros".

O "Campo dos Melros" ou "Planície dos Melros" (Kosovo Polje) foi o palco da Batalha do Kosovo de 1389, também conhecida em português como "Batalha do Campo dos Melros".

A região veio a ser anexada pelo Império Turco-Otomano. Durante os séculos que durou essa ocupação, a região foi tornada administrativamente uma província otomana, batizada, em 1864, com o nome da famosa planície: "Kosovo" (forma iugoslava) foi então usada naquele então em línguas neolatinas como o francês,[34][35] o italiano,[27][36][37][38] o espanhol[39] e o português.[18][20][21][21][22]

No fim do Império Otomano é criada a Iugoslávia, e o Kosovo tornou-se uma região administrativa dentro da Sérvia em 1946, sob o nome de Província Autônoma de Kosovo e Metohija.[21] Em 1974, o nome composto seria oficialmente reduzido apenas a "Kosovo" pelas autoridades iugoslavas, sendo porém retomada a forma "...e Metohija" em 1990. Assim, até hoje existe, em sérvio, uma distinção entre a parte oriental, chamada Косово (pronúncia aproximada: Kôssovo) em língua sérvia, em oposição à metade ocidental, chamada Metohija (em alfabeto sérvio, Метохија). Tal distinção, porém, não é feita na língua albanesa - a mais falada na própria região -, de modo que igualmente nas línguas estrangeiras, tais como o inglês, o francês e o português, o nome "Kosovo" refere-se a toda a região, com suas duas partes.[40]

Em 2008, o Kosovo declarou sua independência, adotando como nome oficial o de "Republika e Kosovës" em albanês, e Republika Kosovo em língua sérvio-croata.

Em português, a forma original, Kosovo, é a usada por dicionários portugueses e brasileiros como o Dicionário Houaiss, o Aulete, o Priberam, os da Porto Editora, e o da Academia das Ciências de Lisboa.[16][17]

Antes da entrada em vigor do Acordo Ortográfico de 1990, que incluiu a letra "k" no alfabeto português e que recomenda seu uso em nomes de localidades estrangeiras, tiveram uso limitado aportuguesamentos como Cossovo (constante de enciclopédias brasileiras e portuguesas, registrada e aceita por Aurélio Buarque de Holanda Ferreira) e, além da transliteração direta Kosovo (atualmente a mais disseminada na imprensa luso-brasileira), a adaptação Cosovo, que chegou a ser usada em documentos em língua portuguesa da União Europeia e a adaptação parcial Kossovo (que foi usada pelo Ministério das Relações Exteriores do Brasil por um período, até ser substituída pela original Kosovo.[15][24]