Jesus

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Jesus (desambiguação).
Jesus
ישוע, Yeshua
O mais antigo painel iconográfico do Cristo Pantocrator.
Século VI. Mosteiro de Santa Catarina, Egito.
Nome completoJesus de Nazaré
Nascimento7-2 a.C.[nota 1]
Judeia, Império Romano[5]
Morte30-33 d.C.[nota 2]
Judeia, Império Romano
ProgenitoresMãe: Maria
Pai: José[nota 3]
OcupaçãoCarpinteiro, profeta itinerante e rabino
Causa da morteCrucificação[nota 4]

Jesus (em hebraico: ישוע/ יֵשׁוּעַ; transl.: Yeshua; em grego: ησοῦς; transl.: Iesous), também chamado Jesus de Nazaré, que nasceu entre 7–2 a.C.[nota 1] e morreu por volta de 30–33 d.C.,[nota 2] é a figura central do cristianismo e aquele que os ensinamentos de maior parte das denominações cristãs, além dos judeus messiânicos, consideram ser o Filho de Deus. O cristianismo e o judaísmo messiânico consideram Jesus como o Messias aguardado no Antigo Testamento e referem-se a ele como Jesus Cristo, um nome também usado fora do contexto cristão.

Praticamente todos os académicos contemporâneos concordam que Jesus existiu realmente,[nota 5] embora não haja consenso sobre a confiabilidade histórica dos evangelhos e de quão perto o Jesus bíblico está do Jesus histórico.[17] A maior parte dos académicos concorda que Jesus foi um pregador judeu da Galileia, foi batizado por João Batista e crucificado por ordem do governador romano Pôncio Pilatos.[18] Os académicos construíram vários perfis do Jesus histórico, que geralmente o retratam em um ou mais dos seguintes papéis: o líder de um movimento apocalíptico, o Messias, um curandeiro carismático, um sábio e filósofo, ou um reformista igualitário.[19] A investigação tem vindo a comparar os testemunhos do Novo Testamento com os registos históricos fora do contexto cristão de modo a determinar a cronologia da vida de Jesus.

Quase todas as linhas cristãs acreditam que Jesus foi concebido pelo Espírito Santo, nasceu de uma virgem, praticou milagres, fundou a Igreja, morreu crucificado como forma de expiação, ressuscitou dos mortos e ascendeu ao Céu, do qual regressará.[20] A grande maioria dos cristãos venera Jesus como a encarnação de Deus, o Filho, a segunda das três pessoas na Santíssima Trindade. Alguns grupos cristãos rejeitam a Trindade, no todo ou em parte.

No contexto islâmico, Jesus (transliterado como Isa) é considerado um dos mais importantes profetas de Deus e o Messias.[21] Para os muçulmanos, Jesus foi aquele que trouxe as escrituras e é filho de uma virgem, mas não é divino, nem foi vítima de crucificação. O judaísmo rejeita a crença de que Jesus seja o Messias aguardado, argumentando que não corresponde às profecias messiânicas do Tanach.

Etimologia

Um judeu contemporâneo de Jesus possuía um único nome, por vezes complementado com o nome do pai ou cidade de origem.[22] Ao longo do Novo Testamento, Jesus é denominado "Jesus de Nazaré" (Mateus 26:71), "Filho de José" (Lucas 4:22) ou "Jesus, filho de José de Nazaré" (João 1:45). No entanto, em Marcos 6:3, em vez de ser chamado "filho de José", é referido como "o filho de Maria e irmão de Tiago, de José, de Judas e de Simão". O nome "Jesus", comum em várias línguas modernas, deriva do latim "Iesus", uma transliteração do grego Ἰησοῦς (Iesous).[23] A forma grega é uma tradução do aramaico ישוע‎ (Yeshua), o qual deriva do hebraico יהושע‎ (Yehoshua).[24][25] Aparentemente, o nome Yeshua foi usado na Judeia na época do nascimento de Jesus.[26] Os textos do historiador Flávio Josefo, escritos durante o século I em grego helenístico, a mesma língua do Novo Testamento,[27] referem pelo menos vinte pessoas diferentes com o nome Jesus (i.e. Ἰησοῦς).[28] A etimologia do nome de Jesus no contexto do Novo Testamento é geralmente indicada como "Javé é a salvação".[29]

Desde os primórdios do cristianismo os cristãos se referem a Jesus como "Jesus Cristo".[30] A palavra Cristo tem origem no grego Χριστός (Christos),[23][31] o qual é uma tradução do hebraico מָשִׁיחַ (Masiah), e que significa "o ungido" e é geralmente traduzido como Messias.[32][33] Jesus é denominado pelos cristãos de “Cristo”, uma vez que acreditam que ele é o Messias esperado, profetizado na Bíblia Hebraica. Embora originalmente se tratasse de um título, ao longo dos séculos o termo “Cristo” foi sendo associado a um apelido – parte de “Jesus Cristo”.[34][35] O termo “cristão”, que significa “aquele que professa a religião de Cristo”, tem sido usado desde o século I.[36][37]