Islândia
English: Iceland

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Islândia (desambiguação).
Ísland
Islândia
Bandeira da Islândia
Brasão de armas da Islândia
BandeiraBrasão de armas
Hino nacional: Lofsöngur
("Canção de louvor")
Gentílico: Islandês(esa)[1]

Localização da Islândia

Localização da Islândia na Europa (em vermelho)
CapitalReiquiavique
65° N 18° W
Cidade mais populosaReiquiavique
Língua oficialIslandês
GovernoRepública parlamentarista
 - PresidenteGuðni Th. Jóhannesson
 - Primeiro-ministroKatrín Jakobsdóttir
 - Presidente do ParlamentoSteingrímur Jóhann Sigfússon
Independênciada Dinamarca 
 - Direito de Governo1 de fevereiro de 1904 
 - Reconhecida1 de dezembro de 1918 
 - República17 de junho de 1944 
Área 
 - Total102 775 km² (106.º)
 - Água (%)2,7
População 
 - Estimativa para 2018350 710 hab. (172.º)
 - Densidade3,4  hab./km² 
PIB (base PPC)Estimativa de 2018
 - TotalUS$ 18,000 bilhões*[2] (142.º)
 - Per capitaUS$ 54 288[2] (16.º)
PIB (nominal)Estimativa de 2018
 - TotalUS$ 25,000 bilhões*[2] 
 - Per capitaUS$ 83 750[2] (3.º)
IDH (2017)0,935 (6.º) – muito alto[3]
Gini (2013)24,0[4]
MoedaCoroa islandesa (ISK)
Fuso horárioGMT (UTC0)
Org. internacionaisONU, AELC, OCDE, OTAN
Cód. ISOISL
Cód. Internet.is
Cód. telef.++354
Website governamentalSítio do governo islandês, em inglês

Mapa da Islândia

Islândia (em islandês: Ísland [ˈistlant]) é um país nórdico insular europeu situado no oceano Atlântico Norte.[5] O seu território abrange a ilha homônima e algumas pequenas ilhas no oceano Atlântico, localizadas entre a Europa continental e a Groenlândia (Gronelândia em português europeu). O país tem população de quase 350 mil habitantes em uma área de cerca de 103 mil quilômetros quadrados.[6] A sua capital e maior cidade é Reiquiavique, cuja área metropolitana abriga cerca de dois terços da população nacional. Devido à sua localização na dorsal mesoatlântica, a Islândia tem uma grande atividade vulcânica e um importante gradiente geotérmico, o que afeta muito a sua paisagem. O interior é constituído principalmente por um planalto caracterizado por campos de areia, montanhas e glaciares. Aquecida pela corrente do Golfo, a Islândia tem um clima temperado em relação à sua latitude e oferece um ambiente habitável.[7]

Segundo Landnámabók, o povoamento da Islândia começou em 874, quando o chefe norueguês Ingólfur Arnarson se tornou o primeiro morador norueguês permanente da ilha.[8] Outros exploradores, como Naddoddr já a tinham visitado antes, mas ficaram lá apenas durante o inverno.[9] Nos séculos seguintes, os povos de origem nórdica e céltica instalaram-se no território da Islândia. Até ao século XX, a população islandesa era fortemente dependente da pesca e da agricultura e o território do país era, entre 1262 e 1918, parte das monarquias norueguesa e, mais tarde, dinamarquesa. No século XX, a economia e o sistema de proteção social da Islândia desenvolveram-se rapidamente e, nas últimas décadas, o país tem implementado o livre comércio no Espaço Econômico Europeu, acabando com a dependência da pesca e partindo para novos domínios econômicos no setor de serviços, finanças e de vários tipos de indústrias. A Islândia tem uma economia de livre mercado com baixos impostos em comparação com outros países da OCDE.[10]

A Islândia possui uma sociedade desenvolvida e tecnologicamente avançada cuja cultura é baseada no patrimônio cultural das nações nórdicas. A herança cultural do país inclui a cozinha tradicional islandesa, a poesia e as sagas islandesas medievais. Nos últimos anos, a Islândia tornou-se uma das nações mais ricas e desenvolvidas do mundo, tendo sido classificada pela Organização das Nações Unidas como o terceiro país mais desenvolvido do mundo.[11] Em 2008, entretanto, o sistema bancário do país falhou, causando contração econômica significativa, o que fez com que o país perdesse várias posições na lista dos países com maior PIB per capita,[12] além de dar início a uma agitação política que levou à antecipação das eleições parlamentares, fazendo de Jóhanna Sigurðardóttir a primeira-ministra.[13] Desde então, a economia teve uma recuperação significativa, em grande parte devido a um aumento do turismo.[14][15][16] Em 27 de abril de 2013, Sigmundur Davíð Gunnlaugsson foi eleito o atual primeiro-ministro do país.[17]

Etimologia

Ísland é um vocábulo que provém da língua nórdica antiga, que significa "terra do gelo".[18] Entretanto, o primeiro nome do país foi Snæland ("terra de neve"), cunhado pelo navegador viquingue Naddoddr, um dos primeiros povoadores das Ilhas Féroe. Gardar Svavarsson, um dos primeiros islandeses, rebatizou a ilha como Garðarshólmur ("ilhotas de Gardar"). O nome definitivo "Ísland" foi dado por Flóki Vilgerðarson, em alusão às paisagens de inverno do atual território islandês.[18] Apesar de alguns documentos oficiais apontarem Lýðveldið Ísland (República da Islândia) como o nome oficial do país, a constituição atual do país define-a como simplesmente "Ísland" (Islândia), sem a anteposição do termo "república".[19]