Idade Contemporânea

Disambig grey.svg Nota: História Contemporânea redireciona para este artigo. Para a disciplina da história do presente, veja História do tempo presente.
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde julho de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser acadêmico)
História
Pré-históriaIdade
da Pedra
Paleolítico2.5 milhões - 10.000 a.C.
Mesolítico13.000 - 9.000 a.C.
Neolítico5.000 - 3.000 a.C.
Idade dos MetaisIdade do Cobre3.300 - 1.200 a.C.
Idade do Bronze3.300 - 700 a.C.
Idade do Ferro1.200 a.C. - 1.000
Idade AntigaAntiguidade Oriental4.000 a.C. - 500 a.C.
Antiguidade Clássica800 a.C. - 476
Antiguidade tardia300 - 476
Idade MédiaAlta Idade Média476 - 1000
Baixa Idade MédiaIdade Média Plenaséc. XI - XIII
Idade Média Tardiaséc. XIV - XV
Idade Moderna1453 - 1789
Idade Contemporânea1789 -

A Idade Contemporânea, também chamada de Contemporaneidade, é o período atual da história ocidental e cujo início remonta à Revolução Francesa (1789).[1]

Desde os seus primórdios, é marcado pelo iluminismo, corrente filosófica que defende o primado da razão e o desenvolvimento da ciência como garantia de progresso civilizatório para a Humanidade.

A Contemporaneidade está distingue-se, de maneira geral, pelo desenvolvimento e consolidação do capitalismo no ocidente e, consequentemente pelas disputas das grandes potências europeias por territórios, matérias-primas e mercados consumidores.

Após duas grandes guerras mundiais, no entanto, o ceticismo veio abalar a crença iluminista de progresso da civilização, aumentando a percepção de que nações consideradas tão avançadas e instruídas eram de fato capazes de cometer atrocidades dignas de bárbaros. Decorre daí o conceito de que a classificação de nações mais desenvolvidas e nações menos desenvolvidas tem limitações de aplicação.

Atualmente está havendo uma especulação a respeito de quando essa era irá acabar, e consequentemente, a respeito da validade do modelo europeu de divisão histórica.