Huáscar
English: Huáscar

Huáscar
Waskhar
Viracocha.jpg
12º Inca de Cusco
Reinado1525 - 1532
ConsorteChuqui Huipa
Antecessor(a)Huayna Capac
Sucessor(a)Atahualpa
DescendênciaMaytanchi
CasaHanan Cuzco
Nascimento1491
 Cusco
Morte1532 (41 anos)
 Cusco
PaiHuayna Cápac
MãeRahua Ocllo

Huáscar (nome pelo qual foi conhecido na História do Peru) ou Tupac Cusi Huallpa (O Sol traz felicidade) foi o 12º Sapa Inca do Tahuantinsuyo. Foi um dos filhos de Huayna Capac com sua meia-irmã Rahua Ocllo. Alguns autores como Lewis Spence acreditam que era a vontade de Huayna Capac que o reino fosse dividido entre seus dois filhos Huáscar e Atahualpa após sua morte, já que seu primeiro filho Ninan Cuyochi morrera de varíola.[1] Já Outros como María Rostworowski avaliavam que a ausência de uma lei sobre a herança do poder, agravado pelo fato de que vários membros de um grupo de parentes do Inca falecido podiam aspirar ao poder e gozavam de direitos e prerrogativas iguais levavam as frequentes lutas fratricidas[2]

A questão das panacas

A mãe de Huascar , Rauha Ocllo irmã de Huayna Capac, pertencia a panaca Capac Ayllu de Tupac Yupanqui (por conseguinte Huascar era considerado membro desta linhagem e não da panaca de Tumipampa).[3]

Já no caso de Atahualpa existe toda uma polêmica. Pedro Cieza de León disse que este havia nascido em Cusco e era mais velho que Huascar. Cieza afirma que a mãe, Tupa Palla, era de uma linhagem Hurin Cusco (Quillaco) e negava que fosse uma princesa de Quito.[4]Diego Esquivel y Navia quando fala do final do governo de Huyna Capac mencionam a origem nortenha da mãe de Atahualpa, mas mais adiante, ao mencionar os descendentes de Huayna Capac, nomeia Thupa Atahuallpa e sua mãe Tocto Ocllo Cuca Coya, que pertencia ao Hatun Ayllu (a linhagem de Pachacuti).[5]

O principal divulgador da origem nortenha de Atahualpa foi Garcilaso de La Veja, que pertencia pelo lado materno a linhagem de Tupac Yupanc e, por conseguinte fazia parte da panaca Capac Ayllu a mesma da mãe de Huascar (Rauha Ocllo), motivo pelo qual Garcilaso era partidário de Huascar.[6]

A inexatidão do relato de Garcilaso aparece em várias partes. Sua crônica trata de diminuir a imagem de Pachacuti por ser uma figura proeminente do Hatun Ayllu. Coloca um Inca Yupanqui entre Pachacuti e Tupac Yupanqui, para dissimular o príncipe Amaru que durante um tempo foi co-regente de Pachacuti e logo foi deposto em favor de Tupac Yupanqui, circunstancias que incomodavam Garcilaso porque a historiografia europeia não admitia situações similares. Por ultimo segundo os costumes tradicionais do velho mundo, não podia explicar a situação existente entre os filhos de Huayna Capac e a importância da filiação materna, incompreensível para o século XVII imbuído de primogenituras, bastardias e direito paterno.[7]

Por esse motivo Garcilaso optou, seguido por outros cronistas, pela versão de uma divisão do Tahuantinsuyu atribuída a Huayna Capac no sentido de deixar o Curacado de Quito para Atahualpa e o resto dos estados a Huascar. Esse fracionamento assemelhava ao que havia nos reinos europeus durante a era medieval entre os filhos de um rei.[7]