Histologia

Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde dezembro de 2014). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser acadêmico)
Uma secção de tecido pulmonar corado com hematoxilina e eosina. Esta pessoa sofre de enfisema.

Histologia (do grego hystos = tecido + logos = estudo) ou Biologia Tecidual [1] é o estudo dos tecidos biológicos e dos tecidos plasmáticos de animais e plantas, sua formação, estrutura e função.[2]É uma importante disciplina das áreas de ciências biológicas e da saúde[3] e outras áreas correlacionadas, tais como Histofisiologia, Histoquímica, Imuno-histoquímica e Histopatologia.[2]Em Biologia, ela ainda pode ser conceitualmente dividida em Histologia Animal, com enfoque em animais, Histologia Humana, com enfoque em seres humanos, Histologia Vegetal, com enfoque em vegetais, dentre outras.

A Histologia desenvolveu-se após a invenção do microscópio óptico.[3]Posteriormente, com o desenvolvimento do microscópio eletrônico, entre de outros instrumentos para visualização dos tecidos, e de técnicas, por exemplo cultura de células, permitiram um grande avanço na área.[2]

O método mais comum para estudar os tecidos é realizado por meio da preparação de lâminas histológicas.[2]Resumidamente, tal preparação envolve processos físicos e químicos de corte, fixação, desidratação, diafazinação (ou clareamento) e coloração, os quais envolvem diversos instrumentos e compostos químicos.[2]

História

Nasceu com os primeiros estudiosos que se utilizaram do microscópio: Robert Hook, Malpighi, Graw, Ham, Fontana e outros; muito antes que Meyer, em 1819, desse esse nome à ciência que descreve os tecidos dos animais e dos vegetais. O termo tecido foi, contudo, introduzido por Xavier Bichat.