Heterotrofismo
English: Heterotroph

Fungos são exemplos de seres heterotróficos, já que necessitam da matéria orgânica para se alimentarem.

Heterotrofismo ou seres heterotróficos (do grego: hetero, diferente + trophikos, alimentar), refere-se àqueles seres vivos (heterotróficos) que não possuem a capacidade de produzir seu próprio alimento.[1][2][3]

Sua alimentação é através da ingestão de compostos orgânicos, sendo então, dependente de seres vivos autotróficos ou de outros heterotróficos para obtenção destes compostos. Como por exemplo: ser humano, animais, vírus, protozoários, algumas plantas, fungos e algumas bactérias; sendo estas últimas importantes, inclusive, na medição da qualidade da água potável.[4]

Algumas plantas além de serem autotróficas, podem apresentar heterotrofismo, como as plantas insetívoras. Entretanto, algumas plantas são completamente heterotróficas, como as plantas parasitas[5].

Ecologia

Na ecologia, o heterotrofismo é visualizado através dos níveis tróficos (cadeias alimentares). Todos os seres vivos precisam de energia para sobreviver e os seres heterotróficos obtêm essa energia pela ingestão e digestão de alimentos. Na cadeia alimentar a energia para alimentação é obtida através dos organismos. Ex: os humanos comem peixes e estes comem organismos suspensos na água e outros peixes.[6]

Dentro de um ecossistema, o heterotrofismo é classificado como os consumidores da cadeia alimentar e também como decompositores, como algumas bactérias e fungos.[6]

No heterotrofismo, os nutrientes obtidos através da alimentação são utilizados como componentes importantes para as células obterem energia pelo processo de respiração celular. A respiração dos seres heterotróficos pode ser por fermentação ou respiração aeróbica.[3]