Guiana
English: Guyana

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Guiana (desambiguação).
Co-operative Republic of Guyana
República Cooperativa da Guiana
Bandeira da Guiana
Coat of arms of Guyana.svg
BandeiraBrasão de armas
Lema: One People, One Nation, One Destiny
(Inglês: "Um Povo, Uma Nação, Um Destino")
Hino nacional: Dear Land of Guyana, of Rivers and Plains
Gentílico: Guianês ou guianense

Localização Guiana

CapitalGeorgetown
6°46′N 58°10′W
Cidade mais populosaGeorgetown
Língua oficialInglês
GovernoRepública semi-presidencialista
 - PresidenteDavid Granger
 - Primeiro-ministroMoses Nagamootoo
Independênciado Reino Unido 
 - Data26 de maio de 1966 
Área 
 - Total214 970 km² (81.º)
 - Água (%)8,4%
 FronteiraVenezuela (NO), Suriname (L), Brasil (S e SO)
População 
 - Estimativa para 2016773 303 hab. (165.º)
 - Censo 2012747 884 hab. 
 - Densidade3,5 hab./km² (217.º)
PIB (base PPC)Estimativa de 2010
 - TotalUS$ 3,568 bilhões (141.º)
 - Per capitaUS$ 5 728 (101.º)
IDH (2017)0,654 (126.º) – médio[1]
MoedaDólar guianense (GYD)
Fuso horário(UTC-4)
 - Verão (DST)CEST
Org. internacionaisONU, OMC, OEA, CARICOM, Comunidade das Nações
Cód. ISOGUY
Cód. Internet.gy
Cód. telef.+592
Website governamentalGuyana News and Information

Mapa Guiana

A Guiana (pronunciada Gú-i-âna[2]) (em inglês: Guyana, pronunciado: [ɡaɪˈɑːnə, ɡaɪˈænə]) ou Guyana,[3][4][5][6] oficialmente República Cooperativa da Guiana [3][5][7][8][9] (em inglês: Cooperative Republic of Guyana), anteriormente conhecida pelo seu nome colonial Guiana Britânica, é um país localizado no norte da América do Sul. Limita-se com o Suriname ao leste, Brasil ao sul e sudoeste, Venezuela ao oeste, e com o oceano Atlântico ao norte. Culturalmente, é parte do Caribe anglófono (Caraíbas anglófonas, em português europeu). A Guiana foi colônia neerlandesa e, subsequentemente, britânica. É o único Estado-membro da Commonwealth (Comunidade de Nações) situado na América do Sul, além de ser a única nação sul-americana a possuir o inglês como idioma oficial. Além disso, integra a Comunidade do Caribe (CARICOM), cuja sede se situa na capital da Guiana, Georgetown, e também é membro pleno da União de Nações Sul-Americanas (UNASUL). A Guiana conquistou sua independência do Reino Unido em 26 de maio de 1966, mantendo Isabel II como chefe de Estado, e tornou-se uma república em 23 de fevereiro de 1970.

Historicamente, a região conhecida como "Guiana" compreendeu a grande massa de terra no norte do rio Amazonas e leste do rio Orinoco, conhecida como a "terra de muitas águas". Ao longo de sua história, consistiu em três colônias neerlandesas: Essequibo, Demerara e Berbice. Com 215 000 km², a Guiana é o terceiro menor Estado independente no continente sul-americano, depois de Uruguai e Suriname.

A zona mais habitada é a faixa litorânea, constituída por um terreno plano, pantanoso e, em grande parte, posicionado abaixo do nível do mar. Para evitar inundações, foi construído um complexo sistema de diques e canais. O interior do país é ocupado pela densa floresta amazônica.

História

Ver artigo principal: História da Guiana
Guiana Britânica em 1896. A Guiana foi uma das únicas colônias do Império Britânico na América do Sul, juntamente com Trindade e Tobago, as Ilhas Malvinas e as Ilhas Geórgia do Sul e Sandwich do Sul.

Explorada por navegantes espanhóis a partir de 1498, o território foi colonizado no século XVII por neerlandeses da Companhia das Índias Ocidentais. Em 1814, a Holanda cedeu a região aos ingleses, que a batizaram oficialmente de Guiana Inglesa em 1831, tornando-a colônia britânica.

Diante das dificuldades encontradas para recrutar trabalhadores braçais entre os indígenas, as autoridades coloniais decidiram importar escravos negros. Com a abolição da escravidão em 1837, os trabalhadores indianos substituíram os negros nas plantações do interior.

Com a vitória eleitoral do Partido Progressista do Povo em 1953, 1957 e 1961, teve início o processo de independência do Reino Unido, concluído em 1966. O país, no entanto, permaneceu como membro da Comunidade Britânica. Em 1970, tornou-se república.

A vida política é dominada pelo Partido Progressista do Povo (PPP), que defende os interesses da maioria Indiana, e pelo Congresso Nacional do Povo (CNP).

A curta história do país caracterizou-se por fortes tensões étnicas, corrupção e ineficácia governamental. A fragilidade institucional levou a um rígido plano de austeridade nos anos 1990.

Em 2001, Bharrat Jagdeo, do PPP, foi eleito presidente. O opositor, Desmond Hoyte, do CNP, faleceu no ano seguinte, aos 73 anos.