Gabão
English: Gabon

Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Maio de 2012). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser acadêmico)
République gabonaise
República Gabonesa
Bandeira do Gabão
Brasão de armas do Gabão
BandeiraBrasão de Armas
Lema: "Union, Travail, Justice"
("União, Trabalho, Justiça")
Hino nacional: "La Concorde" ("A Concórdia")
Gentílico: gabonense, gabonês(a)[1]

Localização República Gabonesa

Capital9° 27' E
Cidade mais populosaLibreville
Língua oficialFrancês
GovernoRepública presidencialista
 - PresidenteAli Bongo
 - Primeiro-ministroJulien Nkoghe Bekale
Independênciada França 
 - Data17 de agosto de 1960 (59 anos) 
Área 
 - Total267 668 km² (75.º)
 - Água (%)3,7
 FronteiraGuiné Equatorial, Camarões (N), e República do Congo
(E e S)
População 
 - Estimativa para 20151 725 290 [2] hab. (150.º)
 - Densidade6,3 hab./km² (194.º)
PIB (base PPC)Estimativa de 2007
 - TotalUS$ : 20,178 bilhões (111.º)
 - Per capitaUS$ : 14 083 (53.º)
IDH (2017)0,702 (110.º) – alto[3]
MoedaFranco CFA (XAF)
Fuso horário(UTC+1)
 - Verão (DST)não observado (UTC+1)
ClimaTropical
Org. internacionaisONU, UA, OCI, CEMAC, ZPCAS, Francofonia
Cód. ISOGAB
Cód. Internet.ga
Cód. telef.+241
Website governamentalhttp://www.gouvernement.ga/

Mapa República Gabonesa

O Gabão, oficialmente República Gabonesa, é um país que se situa na África, limitado a norte pelo território de Rio Muni (Guiné Equatorial) e pelos Camarões, a leste e a sul pelo Congo e a oeste pelo Oceano Atlântico e pelo Golfo da Guiné, por onde é vizinho próximo de São Tomé e Príncipe e da ilha de Pagalu (Guiné Equatorial). Anteriormente uma colônia francesa, o Gabão se tornou independente em 1960. A capital e maior cidade é Libreville.[4]

Desde sua independência da França em 17 de agosto de 1960, o Gabão foi governado por apenas três presidentes. No início de 1990, o Gabão introduziu uma constituição nova e democrática que permitia um processo eleitoral transparente. O Gabão foi também membro não permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas no período 2010-2011. A pequena densidade populacional, juntamente com abundantes recursos naturais e investimentos privados estrangeiros têm ajudado a fazer do Gabão um dos países mais prósperos da região e com o maior IDH da África Subsaariana.[5]

História

Ver artigo principal: História do Gabão

Os primeiros europeus a chegarem ao atual Gabão no século XV, foram comerciantes portugueses, que deram ao território o nome de "gabão" (uma espécie de casaco, cujo formato lembrava o do estuário na foz do rio Komo). A costa gabonesa tornou-se um entreposto de escravos. No século seguinte chegaram comerciantes holandeses, britânicos e franceses.

A França assumiu o status de "protetora" do território após assinar tratados com os chefes tribais locais em 1839 e 1841. No ano seguinte, missionários norte-americanos estabeleceram uma missão em Baraka (a atual cidade de Libreville, capital do país). Em 1849, os franceses capturaram um navio de escravos e libertaram-nos na embocadura do rio Komo. Os escravos libertos batizaram o assentamento de Libreville ("cidade livre", em francês).

Os exploradores franceses exploraram as densas selvas gabonesas entre 1862 e 1887. A França ocupou formalmente o Gabão em 1885 mas só começou efetivamente a administrá-lo em 1903. Em 1910, o Gabão se tornou um dos territórios da África Equatorial Francesa, uma federação que existiu até 1959. Os territórios se tornaram independentes a 17 de agosto de 1960, dando origem à República Centro-Africana, ao Chade, ao Congo-Brazzaville, e ao Gabão.

O primeiro presidente eleito do país foi Leon M'Bá, em 1961. Quando M'Bá morreu, em 1967, foi substituído por Omar Bongo, que governou até sua morte, em 2009, ostentando o recorde de governante durante mais tempo no poder em um país africano.