Gâmbia
English: The Gambia


Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde abril de 2016).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Republic of The Gambia
República da Gâmbia
Bandeira da Gâmbia
Brasão de armas
BandeiraBrasão
Lema: "Progress, Peace, Prosperity"
("Progresso, Paz, Prosperidade")
Hino nacional: "For The Gambia, Our Homeland"
("Pela Gâmbia, Nosso Lar")
Gentílico: gambiano(a)[1]

Localização de República de Gâmbia

Capital16° 34' O
Cidade mais populosaSerekunda
Língua oficialInglês
GovernoRepública presidencialista
 - PresidenteAdama Barrow
 - Vice-presidenteIsatou Touray
Independênciado Reino Unido 
 - Data18 de fevereiro de 1965 
Área 
 - Total11 295 km² (158.º)
 - Água (%)11,5
 Fronteiracom o Senegal apenas, a norte, leste e sul
População 
 - Estimativa para 20172,051,363 hab. (146.º)
 - Densidade140 hab./km² (52.º)
PIB (base PPC)Estimativa de 2017
 - TotalUS$ 3,582 bilhões (171.º)
 - Per capitaUS$ 1,686 (151.º)
IDH (2017)0,460 (174.º) – baixo[2]
Gini (1998)50,2[3]
MoedaDalasi (GMD)
Fuso horário(UTC+0)
 - Verão (DST)não observado (UTC+0)
ClimaTropical
Org. internacionaisONU, UA, CEDEAO, OCI, ZPCAS, Comunidade das Nações
Cód. ISOGMB
Cód. Internet.gm
Cód. telef.+220
Website governamentalhttp://www.statehouse.gm/

Mapa de República de Gâmbia

A Gâmbia, oficialmente República da Gâmbia, é um pequeno país da África Ocidental que rodeia o curso inferior do Rio Gâmbia. Tem uma pequena extensão de litoral Atlântico, a oeste, e uma extensa fronteira com o Senegal, que cerca a Gâmbia por todos os demais lados. Sua capital é Banjul.

A língua oficial é o inglês. Os portugueses foram o primeiro povo a decidir estabelecer uma colônia no Rio Gâmbia, ponto estratégico no comércio de escravos. Em 1765, a Gâmbia tornou-se colônia britânica, sendo unida ao país vizinho, sob o nome de Província da Senegâmbia. Em 1965, a Gâmbia tornou-se independente do Reino Unido. Desde que se tornou um país independente, a Gâmbia teve apenas três presidentes – Dawda Jawara, que comandou o país por três décadas, até 2004 o governante Yahya Jammeh, que ascendeu ao poder ao comandar o golpe que derrubou seu antecessor e Adama Barrow eleito por eleições diretas em 2016. [4]

A economia da Gâmbia é centrada na agricultura, pecuária, pesca e principalmente no turismo.[5]

Em Julho de 2017, a população era de 2.051.363 de habitantes.[6]

História

Ver artigo principal: História da Gâmbia
Plano do Forte de Gâmbia na Ilha James
Selo de 1880

Gâmbia formou parte do Império do Gana assim como do Império Songai. Os primeiros testamentos escritos que se têm da região provêm de alguns textos escritos por comerciantes árabes, nos séculos IX e X, quando os comerciantes árabes criaram uma rota comercial, que comercializou escravos, ouro e marfim. No século XV, os portugueses herdaram este comércio estabelecendo uma rota de comércio do Império do Mali, o qual era pertencente à zona da época.

Em 1588, António Prior do Crato vendeu os direitos de exclusividade de comércio na região do rio Gâmbia aos ingleses, direitos que foram confirmados pela rainha Elizabeth I. No ano de 1618 o rei inglês Jaime I deu a concessão de comércio na região de Gâmbia e da Costa do Ouro a uma companhia inglesa. Entre 1651 e 1661 partes da atual Gâmbia estiveram sob domínio da Curlândia, na época do príncipe Jacob Kettler, vassalo da Polónia-Lituânia.

Desde o final do século XVII e durante todo o XVIII a região dos rios Senegal e Gâmbia foi alvo da disputa entre ingleses e franceses. Em 1783 o Tratado de Paris deu a posse do rio Gâmbia aos ingleses, mas os franceses retiveram um enclave na região que só foi cedido ao Reino Unido em 1857. Mais de 3 milhões de escravos foram enviados desta região para as colónias na América. Em 1807, a escravatura foi abolida no Império Britânico, para tentar que os britânicos terminassem com o comércio de escravos na Gâmbia. Para isso, criaram o posto militar de Bathurst (hoje Banjul) em 1816. Nos anos seguintes, Banjul estava submetida à jurisdição do governador britânico na Serra Leoa. Em 1888, a Gâmbia converteu-se numa colónia autónoma e, um ano mais tarde, em colónia real.

A Gâmbia ficou independente do Reino Unido em 1965. Em 1970, Dawda Kairaba Jawara se converteu no primeiro presidente do novo estado e foi reeleito em 1972 e 1977. Depois da independência, a Gâmbia melhorou seu desenvolvimento económico graças ao aumento nos preços de sua principal matéria de exportação, o amendoim, e ao desenvolvimento do turismo internacional. Em 1982, junto com Senegal, a Gâmbia formou a Confederação de Senegâmbia. O presidente Jawara foi derrotado em 1994 por Yahya Jammeh, quem estabeleceu uma ditadura. Jammeh foi reeleito em 2001 e revogou a lei que proibia a existência de partidos opositores.

Em 23 de novembro de 2010, a Gâmbia rompe todas as suas relações diplomáticas, económicas e políticas com o Irão.[7]