FreeBSD

Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde maio de 2018). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser acadêmico)
FreeBSD
Versão do sistema operativo Unix-like (BSD)
200px
Captura de tela
Bootloader do FreeBSD 10 com logotipo em arte ASCII
ProduçãoThe FreeBSD Project
ModeloSoftware livre
Lançamento1 de novembro de 1993 (24 anos)
Versão estável11.2 21 de junho de 2018; há 0 dia[1]
Mercado-alvoServidores, estações de trabalho, sistemas embarcados
Arquitetura(s)IA-32, x86-64, SPARC64, IA-64, PowerPC, ARM, MIPS
Gestão de pacotespkg
NúcleoMonolítico com módulos carregáveis do núcleo
InterfaceLinha de comandos
LicençaSimplified BSD, FreeBSD Documentation License
Página oficialwww.freebsd.org
Estado de desenvolvimento
Activo

O FreeBSD é um sistema operativo livre do tipo Unix-like que provém do Research Unix via a Berkeley Software Distribution (BSD). Porém, por motivos legais o FreeBSD não pode usar a marca registada Unix, é um descendente do BSD, o qual foi históricamente chamado "BSD Unix" ou "Berkeley Unix". A primeira versão do FreeBSD foi lançada em 1993 e hoje em dia o FreeBSD é a distribuição BSD de código aberto mais usada, contabilizando mais de três quartos de todos os sistemas a utilizar derivados do BSD.

O FreeBSD tem similaridades com o Linux, com duas diferenças maiores no âmbito e na licença: o FreeBSD mantém um sistema operativo completo, i.e. o projeto fornece o kernel, os drivers de dispositivos, o espaço de usuário e a documentação, ao contrário do Linux que fornece apenas o kernel e os drivers e deixa a terceiros o software do sistema; e o código-fonte do FreeBSD geralmente é lançado baixo uma licença permissiva BSD em oposição do copyleft GPL usado pelo Linux.

O projeto FreeBSD inclui uma equipe de segurança supervisando todo o software integrado na distribuição base. Uma pequena faixa de aplicações de terceiros podem ser instaladas usando o sistema de gestão de pacotes pkgng ou os Portos FreeBSD, ou directamente compilando o código-fonte. Devido aos seus termos de licenciamento permissivos, grande parte do código do FreeBSD tornou-se parte integral doutros sistemas operativos tais como o Juniper JUNOS e o OS X da Apple.

Ports

O Sistema de Ports[2], também chamado de Coleção de Ports ou simplesmente Ports, é um "sistema de instalação" de pacotes prático e eficiente utilizado pelo FreeBSD. Consiste numa estrutura de diretórios, os quais possuem arquivos (Makefiles) que especificam todos os pré-requisitos da instalação, como se deve compilar o código fonte, e o necessário para a instalação dos binários criados de um determinado pacote no sistema. Isto de forma praticamente automática, com pouca ou nenhuma intervenção do usuário.

O suporte do Ports é tão abrangente, possuindo atualmente mais de 24.000 pacotes (2014), que dificilmente é necessário procurar programas em outras fontes.

Arquivos binários pré-compilados do Ports são chamados de "pacotes" e estão disponíveis para download. Eles podem ainda ser automaticamente instalados sabendo-se o nome do pacote e passando este como parâmetro para o comando "pkg_add -r".

A maioria dos programas encontrados no Ports, existem para Linux e em muitos casos não é preciso alterar o código fonte. Significa isto que os ambientes gráficos e as aplicações mais comuns usadas no Linux estão presentes no FreeBSD. O código pode não ter diferenças, mas a compilação cria binários distintos.