Figueira da Foz

Figueira da Foz
brasão da Figueira da Fozbandeira da Figueira da Foz
PacosdoConcelho.jpg
Paços do Concelho durante as festas de São João
Localização de Figueira da Foz
GentílicoFigueirense
Área379,05 km²
População62 125 hab. (2011)
Densidade populacional163,9  hab./km²
N.º de freguesias14
Presidente da
câmara municipal
João Ataíde (PS)
Fundação do município
(ou foral)
1771
Região (NUTS II)Centro (Região das Beiras)
Sub-região (NUTS III)Baixo Mondego
DistritoCoimbra
ProvínciaBeira Litoral
OragoSão Julião
Feriado municipal24 de Junho (São João)
Código postal3080/3090 Figueira da Foz
Sítio oficialCâmara Municipal
Municípios de Portugal Flag of Portugal.svg

A Figueira da Foz MHIHComBGOIP é uma cidade portuguesa do distrito de Coimbra, situada na província da Beira Litoral, região do Centro (Região das Beiras) e sub-região do Baixo Mondego, e situada na foz do rio Mondego com o Oceano Atlântico. É a segunda maior cidade do distrito de Coimbra, com cerca de 28 000 habitantes.[1] Foi conhecida como "Rainha das Praias de Portugal". Recentemente, o Cabo Mondego,no promontório conhecido como Serra da Boa Viagem, nos arredores da Figueira da Foz, foi declarado Monumento Natural Nacional.

O actual presidente da câmara, eleito nas eleições autárquicas portuguesas de 2013, é João Ataíde (PS).

O Município

É sede de um município, com 379,05 km² de área[2] e 62 125 habitantes (2011),[3][4], subdividido em 14 freguesias.[5] O município é limitado a norte pelo município de Cantanhede, a leste por Montemor-o-Velho e Soure, a sul por Pombal e a oeste pelo Oceano Atlântico.

A Figueira da Foz fica, portanto, situada no litoral atlântico, junto à foz do Rio Mondego e estendendo-se até ao Cabo Mondego, candidato a Património Mundial[6] por ser um lugar exemplar do jurássico de rara visibilidade.[7] É um dos centros turísticos mais importantes de Portugal, com o Casino mais antigo de toda a Península Ibérica e único na região Centro, o Casino Figueira, uma praça de touros, um enorme areal (a praia urbana mais larga da Europa) com equipamentos lúdicos e desportivos e uma animada vida noturna. A cerca de dez quilómetros da cidade, já no limite do concelho e próximo de Montemor-o-Velho localiza-se o Sítio Classificado dos Montes de Santa Olaia e Ferrestelo com a estação de escavação mais importante do trabalho do arqueólogo figueirense António dos Santos Rocha. Encontrou monumentos e objetos da Idade do Ferro. No monte encontra-se ainda a capela de Santa Eulália com vista deslumbrante sobre os arrozais do Mondego aos seus pés.

A maior parte dos veraneantes vêm de Coimbra, Beiras e de Espanha (Estremadura, Leão e Castela e da Comunidade de Madrid), sendo que alguns destes têm a Figueira da Foz como a sua segunda residência.

Nos últimos 20 anos houve um aumento de alojamentos familiares clássicos, tendo o censos de 2011 registado 43 999, em 25 204 edifícios de habitação familiar clássica. Cerca de 28,1% dos edifícios apresentam necessidades de reparação.[1]

A população activa reparte-se entre as várias actividades económicas da região, com destaque para a pesca, indústria vidreira, actividades ligadas ao turismo, construção naval, produção de celulose, indústria de sal, indústria química e a agricultura (produção de arroz em destaque).

O território concelhio é atravessado a meio pelo Rio Mondego e da sua rede hidrográfica fazem parte várias ribeiras e cinco lagoas (Salgueiros, Vela, Braças, Corvos e Leirosa). A regularização das margens do rio provocou sérias transformações na prática agrícola.