Festival Internacional de Cinema de San Sebastián

Festival Internacional de Cinema de San Sebastián
Palácio Kursaal durante a 53ª edição do Festival de San Sebastián.
Informações gerais
LocalSan Sebastián, País Basco, Flag of Spain.svg Espanha
Fundação21 de setembro de 1953 (66 anos)
PrêmiosConcha de Oro
Número de filmes200-250
IdiomaEspanhol
Website oficial

O Festival Internacional de Cinema de San Sebastián (em castelhano: Festival Internacional de Cine de San Sebastián; em basco: Donostiako Nazioarteko Zinemaldia), comumente chamado de forma reduzida como Festival de San Sebastián, é um dos mais prestigiados e famosos festivais de cinema do mundo. Ele se enquadra na categoria máxima (A) acreditada pela Federação Internacional de Associações de Produtores Cinematográficos (FIAPF). O festival acontece todos os anos no mês de setembro, na cidade espanhola de San Sebastián. Sua primeira edição foi em 21 de setembro de 1953 e o grande premiado foi o filme "La guerra de Dios" de Rafael Gil.

O Festival de San Sebastián é o mais importante festival de cinema da Espanha, assim como um dos mais antigos da Europa. Ao longo da história, o festival foi cenário de acontecimentos de importância e interesse de dimensão internacional, como a estreia internacional de Vertigo e a estreia mundial de Intriga Internacional, ambos de Alfred Hitchcock. Em meio século de existência, o festival proporcionou o descobrimento de novos talentos do mundo do cinema. Por exemplo, foi o primeiro festival que participou Roman Polanski no início da sua carreira, além de ter impulsionado a carreira dos diretores Francis Ford Coppola e Pedro Almodóvar.

O principal prêmio do festival é a Concha de Oro, concedido ao melhor filme em competição na sessão oficial, são entregues também a Concha de Plata ao melhor diretor, ator, atriz, além do Prêmio do Júri para filmes nas categorias de melhor fotografia e roteiro. Também é entregue o prêmio Kutxa – Novos Diretores, voltado a obras cinematográficas que sejam os primeiros ou segundos trabalhos de seus diretores.[1]

História

Após ser concebido para sua primeira edição em 1953 como Semana Internacional de Cine, no ano de 1954 adquiriu a denominação de Festival Internacional de Cine, ao ser organizado pelo Sindicato Nacional de Espectáculos e o Ministerio de Información y Turismo, satisfeitos pelos resultados obtidos. Nesta segunda edição, o festival obteve da Federação Internacional de Associações de Produtores Cinematográficos (FIAPF) a categoria B (festival não competitivo), como recompensa aos esforços demonstrados pelo governo franquista para flexibilizar a censura e permitir certos privilégios fiscais aos filmes apresentados no certame.

Em 1955 o festival outorgou pela primeira vez a Concha de Plata como prêmio distintivo da competição — o filme vencedor foi Giorni d'amore, de Giussepe de Santis — primeiro prêmio concedido pelo festival a um filme estrangeiro.

Desde o ano de 1991, o festival é organizado por uma sociedade anônima com a denominação de Festival, cujos acionistas participam em partes iguais, são eles o Instituto de la Cinematografía y de las Artes Audiovisuales (Ministério da Cultura), o Governo Vasco, a Diputación Foral de Guipúzcoa e a Prefeitura de San Sebastián.

Em 2007, depois de várias edições que foram objeto de duras críticas, na 55ª edição, o festival estreou uma nova fórmula que combinava o cinema independente e de qualidade internacional, e muito especialmente o latino-americano, capaz de atrair mais público e de agradar os críticos, com uma maior presença de atores e diretores conhecidos pelos público.[2] Embora esta fórmula tenha permitido o festival recuperar o apoio do governo local e incrementar sua repercussão midiática, a pressão de outros festivais, com financiamentos muito superiores ao de San Sebastián, projeta grandes dificuldades às que o festival terá que enfrentar nos próximos anos.[3]