Estado fantoche
English: Puppet state

Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2016). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser acadêmico)
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde agosto de 2016). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.

Estado fantoche é o termo com que se designa um Estado cujo governo depende de uma potência estrangeira para sua existência e que segue os interesses desta potência em situações políticas essenciais, notadamente econômicas e estratégicas. Seus governos são geralmente conhecidos como governo fantoche ou regimes fantoches. Nesta condição, Estado fantoche é também um dos muitos termos que definem a subordinação de um Estado a outro no sistema internacional.[1]

Noutra definição, o termo também designa a existência de um Estado criado pela intervenção de uma potência externa dentro do território sob a soberania de outra nação. Nesta situação, um Estado fantoche é um Estado segregado, apoiado e mantido por uma potência externa.

Em qualquer uma das definições, um Estado fantoche é um estado não democrático (já que sua conduta política e econômica é decidida por outra nação) e sem legalidade jurídica entre a comunidade das nações.

Por estas definições, o termo Estado fantoche pode ser aplicado de maneira plena somente no mundo moderno, pós-feudal, onde os Estados são presumivelmente o espelho da vontade de sua população ou nos quais a guerra tenha sido usada como meio de aquisição de território. Para relações de subordinação em tempos antigos, a denominação historicamente melhor aceita é de Estado vassalo ou Estado tributário.

Exemplos

Alguns exemplos de Estados fantoche do século XX:

Referências