Estado de conservação

Estado de conservação se refere à dinâmica das populações de determinada espécie, ou táxon superior, de um ser vivo.

Geralmente, a ameaça a espécies se deve atualmente à ação antrópica, seja pela agricultura convencional, a construção de cidades, ou de estradas, hidrelétricas e outras obras.

O estudo das populações permite acompanhar seu estado de conservação, mas a proteção delas depende de medidas de preservação que são tomadas pelos poderes públicos ou, às vezes, por particulares. Entre os primeiros temos, no Brasil, as Unidades de Conservação (UCs), e entre os segundos, as Reservas Particulares do Património Natural (RPPNs).

Categorias

A IUCN classifica dada população em uma das nove categorias (a abreviação que segue é, por convenção, da categoria em inglês).

Existem duas categorias para taxa que não possuem mais registros na natureza:

  • Extinta EX (do inglês, Extinct): não existem dúvidas de que o último individuo morreu.
  • Extinta na natureza EW (do inglês, Extinct in the Wild): o táxon ocorre apenas em áreas de cultivo, cativeiro, ou em populações inseridas na natureza, muito diferente de sua ocorrência original.

Para as espécies em risco de extinção, a IUCN considera três categorias:

  • Criticamente em perigo CR (do inglês, Critically Endangered): o táxon corre risco extremamente alto de extinção a curto prazo.
  • Em perigo EN (do inglês, Endangered): o táxon corre risco alto de extinção a curto prazo.
  • Vulnerável VU (do inglês, Vulnerable): existe risco alto de extinção a médio prazo.

Existem também categorias para taxa com baixo risco de extinção:

  • Quase ameaçada NT (do inglês, Near Threatened): não existe risco de extinção mas pode passar a existir, caso não sejam tomadas medidas para sua conservação.
  • Pouco preocupante LC (do inglês, Least Concern): taxa são incluídos nessa categoria quando não existe possibilidade de serem extintos com as atuais condições.

Outras categorias se referem a taxa que não possuem dados os suficientes para concluir a cerca de seu estado de conservação e a taxa que não foram avaliados.

  • Dados Deficientes DD: os dados disponíveis não permitem concluir o real estado de conservação, sendo necessários mais estudos para tal.
  • Não avaliada NE: o táxon não foi avaliado segundo os critérios da IUCN.