Eriotheca candolleana


Como ler uma infocaixa de taxonomiaEriotheca candolleana
E. candolleana do IE unicamp, Campinas - SP, Brasil.

E. candolleana do IE unicamp, Campinas - SP, Brasil.
Estado de conservação
Espécie não avaliada
Não avaliada [1]
Classificação científica
Reino:Plantae
Sub-reino:Viridiplantae
Infrarreino:Streptophyta
Superdivisão:Embryophyta
Divisão:Tracheophyta
Subdivisão:Spermatophytina
Classe:Magnoliopsida
Superordem:Rosanae
Ordem:Malvales
Família:Malvaceae[2]
Gênero:Eriotheca
Espécie:E. candolleana[3][4][5]
Nome binomial
Eriotheca candolleana
(K.Schum.) A.Robyns 1963
Distribuição geográfica
Mapa com pontos amarelos representando a distribuição confirmada de E. candolleana no Brasil.[6]
Mapa com pontos amarelos representando a distribuição confirmada de E. candolleana no Brasil.[6]

Eriotheca candolleana[7][8][9][10][11] é uma espécie de árvore endêmica do Brasil conhecida pelos nomes populares: embiruçu, catuaba e catuaba-branca.[1] É uma das plantas à qual se atribui o nome Catuaba, sendo também conhecida como catuaba-branca.

Morfologia

A E. candolleana atinge cerca de dezoito metros de altura. Seu tronco é liso e atinge cerca de 45 centímetros de diâmetro. Possui folhas compostas, digitadas, com média de seis folíolos , que atingem cerca de sete centímetros de comprimento, são glabros na face superior e pubescente e ferrugíneos na face inferior; o indumento do folíolo é lepidoto. Possui flores com mais de cinco centímetros de comprimento, com botão floral elíptico; cálices campanulados, com margem flocada, com indumento flocoso, ferrugíneo; possui nectários no receptáculo; pétalas obovadas, não enroladas; tubos estaminais cilíndricos, com até 1,5 centímetros de comprimento; possui tubo estaminal constrito; possui de 45 a 170 estames. Fruto com fibra sedosa parda e abundante.[1][4]