Engenharia eletrônica

HitachiJ100A.jpg

A engenharia eletrônica (português brasileiro) ou engenharia eletrónica (português europeu) é uma área de Engenharia que lida com grandezas elétricas de pequena amplitude e de elevadas frequências, os chamados sinais elétricos ou eletrônicos. A engenharia eletrônica cuida da energia elétrica sob os microaspectos de controle, automação e telecomunicação.O estudo da engenharia eletrônica fornece meios para o desenvolvimento de componentes, dispositivos, sistemas e equipamentos como: transistores, circuitos integrados e placas de circuito impresso. Nos Estados Unidos, assim como no Brasil, os cursos de engenharia eletrônica são tradicionalmente dados como conteúdo da engenharia elétrica, tal como definido pelo MEC e CREA no Brasil.

História

Chip FTDI num Arduino

A engenharia eletrônica surgiu a partir do desenvolvimento tecnológico nas indústrias do telégrafo, no final do século XIX; e do rádio e telefone no início do século XX. A maior parte do desenvolvimento dessa disciplina ocorreu durante o período da segunda guerra mundial, com o advento do radar, do sonar, dos sistemas de comunicação e de outros sistemas com fins de aplicação bélica. Durante os anos que precederam a segunda guerra o assunto era conhecido como "engenharia de rádio" e apenas no final dos anos 50 o termo engenharia eletrônica começou a surgir.[1]

Em 1948 surgiu o transistor e em 1960 o circuito integrado (CI) viria a revolucionar a indústria eletrônica.[2][3]

Historicamente considerada mera subdivisão da engenharia elétrica, especialmente durante a "era da válvula", ganhou autonomia plena com o advento da "era do semicondutor", rapidamente sucedida pela era da miniaturização em larga escala.