Embraer EMB-110

Disambig grey.svg Nota: Para o termo Bandeirantes, veja Bandeirantes (desambiguação).
EMB-110 Bandeirante
Avião
Protótipo nº 1, de três produzidos, cuja denominação era EMB-100 ou FAB YC-95 (Musal)
Descrição
Tipo / MissãoAeronave de transporte civil e militar(a), com motores turboélice, bimotor monoplano
País de origem Brasil
FabricanteEmbraer
Período de produção1973-1991
Quantidade produzida498
Desenvolvido deEmbraer EMB-100
Primeiro voo em22 de outubro de 1968 (50 anos)
Introduzido em9 de fevereiro de 1973
Tripulação2 ou 3
Passageiros15/21
Especificações
Dimensões
Comprimento15,08 m (49,5 ft)
Envergadura15,32 m (50,3 ft)
Altura4,73 m (15,5 ft)
Área das asas29  (312 ft²)
Alongamento8.1
Peso(s)
Peso máx. de decolagem5 670 kg (12 500 lb)
Propulsão
Motor(es)2 x turboélices Pratt&Whitney PT6A-34
Performance
Velocidade máxima426 km/h (230 kn)
Alcance (MTOW)1 900 km (1 180 mi)
Teto máximo8 260 m (27 100 ft)
Notas
(a)Os três protótipos eram de oito lugares. A partir da primeira aeronave de série, passou a ter doze lugares.

O Embraer EMB-110 "Bandeirante" é um avião turboélice destinado ao uso civil e militar, com capacidade para até 21 passageiros, desenvolvido e fabricado no Brasil pela Embraer.

Histórico

No final da década de 1960, o governo brasileiro desencadeou uma política de expansão da indústria nacional, época em que havia a necessidade de se obter um avião de propósito geral, para uso civil e militar, a ser utilizado no transporte de cargas e passageiros. Desta forma promoveu estudos para a criação de uma nova aeronave, de baixo custo operacional, capaz de ligar regiões remotas e dotadas com pouca infra-estrutura.

Coube a uma equipe do Centro Técnico Aeroespacial, liderada inicialmente pelo projetista francês Max Holste, com a supervisão do engenheiro aeronáutico Ozires Silva, a missão de desenvolver o produto. O projeto, que foi chamado de IPD-6504, teve início em 1965 e se desenvolveu durante três anos, até o primeiro voo, em 22 de outubro de 1968. A Embraer ainda não havia sido criada, o que aconteceria no ano seguinte, em 19 de agosto de 1969, tendo como primeiro presidente, Ozires Silva.

O primeiro protótipo do EMB-110 antes de seu primeiro voo c.1968.

Em maio de 1971, foi iniciada a produção em série do avião, com a primeira entrega em 9 de fevereiro de 1973, para a Força Aérea Brasileira, que encomendou oitenta unidades. A aeronave foi vendida para diversos países. De um total de 498 aviões fabricados, 245 foram para o exterior, incluindo forças armadas.[1]

Em alguns países ganhou o apelido de Bandit.[2]

Utilizado para o transporte de passageiros, carga, busca e salvamento, reconhecimento fotográfico, originou também uma versão de patrulha marítima, o Bandeirante Patrulha, apelidado Bandeirulha.

O protótipo de n.° 1 está em exposição no Museu Aeroespacial do Campo dos Afonsos (MUSAL), na base aérea que tem o mesmo nome, no bairro do Campos dos Afonsos, na cidade do Rio de Janeiro. O protótipo de n.º 3 está exposto no Parque Santos Dumont, na cidade de São José dos Campos.